Anywhere Office

Um ou dois dias de trabalho no escritório é o ideal, diz pesquisa de Harvard

Redação BeerOrCoffee
Escrito por Redação BeerOrCoffee em maio 13, 2022
7 min de leitura
Um ou dois dias de trabalho no escritório é o ideal, diz pesquisa de Harvard
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

O trabalho no escritório não morreu, mas foi reinventado. Cada vez mais, o modelo híbrido é colocado em prática e se mostra mais eficiente. É o que mostra a pesquisa de Harvard, que constatou que as equipes que ficam entre 23 e 40% do tempo no escritório são mais produtivas e recebem melhores feedbacks. Entenda por quê!

Trabalho no escritório

Diferente do que muitas pessoas pensam, o trabalho no escritório ainda é válido. Porém, ele deve ser limitado.

É o que aponta uma pesquisa realizada pela Harvard Business School. Ela revelou que times que trabalham em modelo híbrido são mais produtivos do que as equipes 100% remotas ou presenciais.

A fórmula ideal é ficar entre 23% e 40% do tempo de trabalho em escritórios físicos. Isso representa de 1 a 2 dias. No restante da semana, o colaborador é quem decide.

O estudo foi realizado durante 9 semanas em 2020 em uma organização de Bangladesh. O diferencial dessa pesquisa é que ela não considerou a preferência dos funcionários, mas a qualidade das entregas.

Como essas questões estão relacionadas? Vamos explicar melhor neste artigo. Confira!

O que é o trabalho híbrido?

O trabalho híbrido é o modelo que combina atividades dentro e fora do escritório. Ou seja, em parte do tempo, o colaborador atua presencialmente e, no restante, está a distância.

Por isso, ele tem tudo a ver com o anywhere office. Afinal, o colaborador pode trabalhar de qualquer lugar. A diferença é que o regime híbrido exige que parte dos dias seja presencial.

trabalho no escritório

O que diz o estudo de Harvard?

A pesquisa da Harvard escolheu 130 funcionários administrativos aleatórios e os dividiu em três grupos: 

  • Um grupo ficou menos de 23% do tempo trabalhando no escritório;
  • Outro grupo passou mais de 40% do tempo de trabalho no escritório; 
  • Um terceiro grupo, intermediário, atuou no escritório entre 23 e 40% do tempo de trabalho.

Para analisar a qualidade do trabalho desses profissionais, mais de 30 mil e-mails foram analisados por um aplicativo. 

Ele identificava a originalidade dos trabalhos e também o feedback positivo de superiores e colegas. 

Assim, observou-se que o grupo intermediário foi o que obteve melhor desempenho, tanto em termos de qualidade do trabalho, quanto em melhores feedbacks. 

Portanto, os resultados mais positivos foram dos funcionários que permaneceram na empresa de 23% a 40% do tempo de trabalho.

Segundo os pesquisadores, a diferença foi substancial quando comparado com aqueles outros dois grupos.

O estudo também revelou que os colaboradores do grupo intermediário também se sentiam mais satisfeitos e com menos sensação de isolamento. 

Para o professor de Harvard e coautor da pesquisa, Prithwiraj Choudhury, o trabalho híbrido oferece o melhor dos dois mundos.

Isso porque “os trabalhadores desfrutam de flexibilidade e ainda não estão tão isolados em comparação com colegas que trabalham predominantemente em casa”.

Para o pesquisador, também ficou claro que o modelo híbrido deve ser flexível, e não rígido. Por exemplo, com definições de 2 dias de trabalho no escritório e 3 dias remotos.

A ideia é que as pessoas possam escolher, aproveitando o tempo juntas para trocar ideias, interagir e evoluir. 

Por isso, para funcionar bem, os colaboradores precisam estar no escritório junto com outros colaboradores de seu time. Só assim, é possível obter os benefícios de um trabalho híbrido.

Trabalho híbrido: desafios e caminhos a seguir   

A pesquisa de Harvard acendeu uma luz para um dos principais desafios do trabalho remoto: a construção de relacionamentos. 

Outro exemplo foi um estudo feito pela Microsoft. Segundo a pesquisa, 43% dos líderes entrevistados acreditam que o relacionamento entre os colegas é um desafio a ser superado no mundo do trabalho no escritório de forma híbrida.

Esse levantamento também revelou que 58% dos colaboradores desejam o trabalho remoto ou híbrido, mas há uma dificuldade em entender quando e porque ir até a empresa. 

Em um formato em que as pessoas trabalham no escritório apenas um ou dois dias por semana, é possível superar esses obstáculos.

Dessa forma, os momentos presenciais podem ser direcionados para determinadas tarefas. Por exemplo, momentos de interação, reuniões, brainstormings e outras dinâmicas que funcionam melhor em grupos presenciais.

Assim, os envolvidos entendem que certas atividades funcionam melhor quando estão no escritório. Portanto, têm motivos para ir até a empresa, já que cada projeto ou fase do negócio pode exigir certo nível de presença física dos colaboradores. 

No entanto, todas essas decisões precisam ser tomadas em equipe. O ideal é que cada setor defina o que é melhor para o seu bom funcionamento.

Dessa forma, as definições, talvez, não sejam uniformes em todos os departamentos da empresa. Por exemplo, enquanto o financeiro opta por trabalhar no escritório 3 dias da semana, o time de marketing pode preferir comparecer apenas 1 dia.

Ao mesmo tempo, essas regras estão longe de serem fixas e imutáveis. Ou seja, se uma equipe perceber que precisa comparecer mais dias no escritório, isso pode ser modificado.

O importante é perceber o que dá certo em cada caso. Desse modo, fazer testes e experimentações pode ser bastante válido.

Portanto, flexibilidade é a palavra-chave quando se fala em trabalho no escritório para o formato híbrido.

Trabalho no escritório 

Dicas para adotar trabalho no escritório por 1 ou 2 dias

Se você acha que essa ideia é interessante, mas não sabe como aplicar no seu negócio, chegou ao local certo!

Aqui, vamos trazer algumas dicas para você colocar em prática a flexibilidade dos dias de trabalho no escritório. Confira!

Diálogo com a equipe

O primeiro passo para determinar como será realizado o trabalho híbrido é estabelecer um diálogo dos gestores com suas equipes.

Cada líder tende a conhecer o melhor formato para seu time. Porém, caso existam dúvidas, os colaboradores devem ser consultados.

É preciso estabelecer os dias e os horários de trabalho presencial. Ao mesmo tempo, também vale a pena definir quais atividades serão realizadas no trabalho no escritório. 

Quanto ao que será feito remotamente, é preciso determinar modelos de acompanhamento de projetos e avaliação de desempenho. Nesse caso, o foco deve ser as entregas.

Ferramentas e organização  

Após a definição de que uma parte considerável das atividades serão realizadas de forma remota, é preciso que a empresa ofereça ferramentas de trabalho para seus times.

Softwares de comunicação, sistemas de backup em nuvem e outros aplicativos são necessários. Eles garantem o bom funcionamento do trabalho a distância.

Organização e comunicação também são fundamentais. É papel do líder garantir a circulação de todas as informações.

Além disso, os colaboradores devem utilizar os canais de chats, por exemplo, para tirar dúvidas do dia a dia. Aqui, vale a pena usar a comunicação assíncrona para trazer eficiência à rotina de trabalho.

Ambiente e escritório

Por fim, é preciso que a empresa incentive as relações sociais e atividades que acontecerão presencialmente.

Ou seja, se a ideia é ter reuniões semanais no escritório, então, é necessário ter espaços para esse propósito.

Porém, se o foco é incentivar mais a integração dos times, o horário do café pode ter algo especial para as pessoas interagirem. Por exemplo, uma comemoração para os aniversariantes do mês.

E, para incentivar a troca de ideias e criatividade, todo o ambiente precisa ser convidativo e agradável.

Um espaço físico agradável será mais interessante para as pessoas trabalharem no escritório naqueles períodos. 

Mas, se nem todos estarão no mesmo espaço ao mesmo tempo, muito espaço pode ficar vago no escritório, não é mesmo?

A solução está na adoção de um novo tipo de escritório: os coworkings. Eles são escritórios compartilhados entre vários profissionais e empresas.

Ou seja, as equipes podem utilizar os coworkings em vez da empresa ter um espaço físico próprio.

Pode ser uma sala privativa. Ela é utilizada somente por sua equipe durante todo o tempo de reserva. 

Mas também existem os hot desks. Ou seja, a área compartilhada, que facilita o networking e é mais informal.

Em qualquer um dos formatos, a grande vantagem está na economia e praticidade. Isso porque atividades como limpeza e café ficam a cargo do espaço de coworking, por exemplo. 

OfficePass: solução para o trabalho híbrido 

OfficePass trabalho no escritório

O BeerOrCoffee é uma plataforma que reúne mais de 1100 coworkings em mais de 160 cidades do Brasil.

Com a assinatura do OfficePass, seus colaboradores podem utilizar qualquer um dos espaços disponíveis no momento em que quiserem. E você só paga pelo que usar.

Assim, se uma parte do seu time mora em outra cidade, todos podem trabalhar juntos no escritório em 1 ou 2 dias da semana. Tudo sem você precisar pagar aluguel, água, luz e nem procurar imóvel. 

Por isso, o OfficePass é o plano perfeito para as empresas que querem adotar o modelo híbrido.

Utilizado por empresas como Pipefy, Banco Inter e iFood, o modelo de assinatura promove economia e praticidade para os seus negócios.

Então, que tal garantir o trabalho no escritório e também fora dele? Inspire-se nos resultados da pesquisa de Harvard e coloque em prática o melhor modelo para sua empresa!

Gostou de ver mais detalhes e quer conhecer o OfficePass? Acesse o site do BeerOrCoffee e entenda melhor como funciona a assinatura de escritórios compartilhados.

Texto escrito por Liandra Cordeiro, redatora web. Revisado por Marcelo Madeira, tradutor, revisor e editor freelancer.

Faça sua primeira reserva em um coworking!

X