Tecnologia

O que é Cybersecurity Awareness, por que sua empresa precisa disso e como aplicar

Redação BeerOrCoffee
Escrito por Redação BeerOrCoffee em maio 4, 2022
7 min de leitura
O que é Cybersecurity Awareness, por que sua empresa precisa disso e como aplicar
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

O Cybersecurity Awareness é uma estratégia que visa à redução de riscos de segurança digital causados por erros humanos. Com a adoção de boas práticas, os funcionários entendem seu papel no combate aos ataques virtuais e atuam de acordo com as boas práticas. Entenda mais. 

A segurança cibernética é fundamental nos dispositivos. Quando o equipamento está conectado a um ambiente corporativo, muito mais. Por isso, vale a pena saber o que é Cybersecurity Awareness e por que sua empresa precisa disso.

Afinal, o vazamento de informações implica perda de vantagem competitiva e outros problemas que prejudicam o bom desempenho do seu negócio. Esses são pontos a atentar nas empresas que trabalham presencial ou remotamente.

Em qualquer um dos casos, o principal fator de risco é o ser humano. Assim, é necessário investir em estratégias que ampliem o conhecimento e a ética da nova tecnologia. Ainda é importante adotar outras medidas que visem à proteção do negócio.

É aqui que entra a Conscientização da Segurança da Internet ou a Conscientização da Segurança Cibernética, como também é chamado o Cybersecurity Awareness.

Por meio dessa prática, todos estarão mais conscientes sobre a importância do seu comportamento online. Devido a todos esses fatores, criamos um texto que apresenta esse conceito e por que sua empresa precisa aplicá-lo. 

Cybersecurity Awareness

O que é Cybersecurity Awareness e por que sua empresa precisa disso?

O Cybersecurity Awareness é um conceito que reúne conhecimento e execução de atividades com o objetivo de proteger os ativos da empresa.

Para isso, é preciso que os colaboradores estejam cientes da importância da prática, saibam quais são as ameaças existentes e qual o efeito potencial em caso de ataque da empresa. Dessa forma, é possível adotar medidas para reduzir os riscos.

Na prática, a Conscientização da Segurança da Internet exige que todos sejam responsáveis nas situações diárias. Por isso, cabe aos líderes incentivarem as boas práticas. Afinal, a segurança da informação é um importante pilar corporativo.

Importância do Cybersecurity Awareness

O cuidado com a segurança da informação é fundamental para as empresas. Segundo uma pesquisa da PwC, 83% dos líderes querem aumentar os gastos com cibersegurança. Além disso, 53% adotam medidas para redução dos riscos virtuais. Por exemplo, auditoria das práticas de segurança de colaboradores e fornecedores.

O mesmo levantamento apresentou que 55% das empresas intensificam a defesa digital e exigem a mesma postura dos prestadores de serviço. Muito por conta dos custos da violação da segurança digital.

De acordo com um relatório da IBM, o custo total médio de uma violação 2020-2021 sofreu um aumento de 10%. Essa elevação foi causada por dois principais fatores: trabalho remoto e transformação digital derivada da pandemia de COVID-19.

Portanto, fica claro que é necessário saber o que é Cybersecurity Awareness e por que sua empresa precisa disso. Essa pode ser uma das principais dificuldades das empresas de tecnologia. A mesma ideia é válida para outros tipos de negócios.

Ao implementar a Conscientização da Segurança da Internet, sua empresa fica menos suscetível a ataques. Especialmente porque 85% das vulnerabilidades de dados envolvem humanos. Além disso, 94% dos malwares são enviados por e-mail.

Assim, consolidar as práticas de boa segurança ajuda a defender seu negócio de diferentes tipos de ataques. Entre eles, estão os seguintes tipos de malware:

  • Ransomware: sequestra o sistema e exige um pagamento de resgate para liberar os arquivos. Gerou um prejuízo de mais de 25 bilhões somente em 2021 e deve aumentar 50% em 2022;
  • Trojan: é o famoso cavalo de troia. Ele entra no sistema disfarçado como um programa comum. A partir disso, abre brechas de vulnerabilidade, executa ações por conta própria e rouba dados. É o malware predominante em 2022, com mais de 2,6 milhões de bloqueios entre 1º de janeiro e 21 de março;
  • Worm: programa que se autorreplica no notebook e utiliza uma rede para se espalhar para outros dispositivos;
  • Vírus: apesar do nome ser utilizado para qualquer tipo de malware, os vírus são uma categoria diferenciada. Eles são semelhantes aos worms, porque infectam diversos arquivos no computador. No entanto, não se autorreplicam. Por isso, a via de ataque é o envio de arquivos infectados por e-mail, principalmente;
  • Spyware: é um software espião. Ele coleta os dados do usuário, como quais teclas foram pressionadas, quais são os hábitos de navegação, informações de login etc. Tudo é enviado para um terceiro, que utiliza em benefício próprio. Além disso, também pode modificar configurações de segurança e interferir nas conexões de rede;
  • Phishing: consiste em uma técnica de engenharia social que engana o usuário para obter suas informações e utilizá-las de maneira indevida. O ataque ocorre por e-mail ou telefone, e o invasor finge ser de uma empresa de verdade.

Essas breves explicações evidenciam como seu negócio pode ser afetado com qualquer um dos tipos de ataques existentes. No caso do trabalho remoto, o cuidado é ainda mais necessário. Afinal, existem muitas tecnologias inovadoras e todas elas exigem que você forneça o treinamento certo para evitar problemas.

Crescimento dos ataques cibernéticos durante a pandemia

Ao longo deste post, já mostramos como os ataques à segurança digital vem crescendo. Porém, esse cenário ficou ainda mais evidente durante a pandemia.

O relatório da IBM já citado demonstrou que o custo médio da violação de dados foi 1,07 milhão de dólares mais elevado quando o trabalho remoto foi um fator considerado.

O percentual de empresas nessa condição foi de 17,5%. Outros dados relevantes foram:

  • Companhias com mais de 50% da força de trabalho no regime remoto demoraram 58 dias a mais para detectar e conter violações;
  • Empresas que não implementaram nenhuma medida de transformação digital devido à pandemia tiveram custos mais elevados do que outras organizações. O gasto foi de 750 mil dólares, registrando uma alta de 16,6%;
  • O custo médio de uma violação nas empresas com 81% a 100% dos funcionários trabalhando remotamente chegou a 5,54 milhões de dólares;
  • O custo médio de violação de dados nas empresas em que o trabalho remoto foi um fator considerado atingiu 4,96 milhões de dólares.

Apesar de parecer que os gastos com transformação digital não compensaram, a realidade mostra o contrário. As organizações que não alteraram seus processos apresentaram um custo de violação maior. A seguir, listamos os resultados para você ver a diferença:

  • Nenhuma transformação: 5,01 milhões de dólares;
  • Transformação mínima: 4,13 milhões de dólares;
  • Transformação moderada: 3,78 milhões de dólares;
  • Transformação significativa: 3,97 milhões de dólares;
  • Transformação muito significativa: 4,26 milhões de dólares.

Ou seja, a sua empresa precisa se adaptar a esse novo cenário.

Mais do que isso, as tecnologias dos trabalhadores remotos devem ser implementadas para favorecer os processos e garantir que a sua empresa fique mais preparada para enfrentar as ameaças digitais.

Como aplicar o Cybersecurity Awareness?

Agora que você entendeu o conceito de Cybersecurity Awareness e por que sua empresa precisa dele, está na hora de ver algumas boas práticas para implementar essa estratégia na sua empresa. Confira as dicas:

  • Realize treinamento básico em segurança da informação: o objetivo é espalhar a informação e garantir que os colaboradores adotem as melhores práticas. Por exemplo, usem softwares autorizados e tenham senhas fortes;
  • Aumente o nível de segurança por usuário: crie fatores de proteção as equipes a partir de autenticação multifatores. Uma boa sugestão é consolidar um processo de verificação em duas etapas;
  • Tenha uma estratégia de recuperação de dados: perdas sempre podem acontecer, especialmente no trabalho remoto. Crie um procedimento de backup frequente para resolver quaisquer problemas nesse sentido. Essa medida é válida mesmo se você adotar softwares em nuvem. Assim, você também segue as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);
  • Verifique o que você pode prevenir: os invasores sempre tentarão encontrar vulnerabilidades. Por isso, é importante ser capaz de identificar e resolver as brechas existentes com rapidez. Efetive um gerenciamento de riscos e use soluções que agregue os logs de aplicativos, sistemas operacionais e infraestrutura de rede;
  • Implemente uma cultura de segurança da informação: a proteção dos dados deve ser um pilar da cultura organizacional. O próprio treinamento ajuda nesse sentido, mas os líderes também devem incentivar a adoção de melhores práticas. Assim, os erros mais comuns — como a abertura de arquivos e e-mail suspeitos — serão reduzidos.

Todas essas boas práticas são adotadas no BeerOrCoffee. Além de garantir a proteção dos dados, as iniciativas evitam vazamentos e impedem o acesso, a divulgação ou o uso não autorizado de informações de clientes, parceiros e colaboradores.

Tudo isso ajuda a efetivar um trabalho remoto mais eficiente e alinhado às melhores práticas de segurança digital. Por isso, você também deve saber o que é cybersecurity awareness e por que sua empresa precisa disso. Afinal, essa é uma forma de firmar parcerias estratégicas, conquistar vantagem competitiva e estabelecer um modelo de trabalho mais flexível.

Achou interessante e quer saber mais? Leia o guia definitivo do futuro do trabalho e veja tudo o que sua empresa precisa para ter mais flexibilidade.

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.

Faça sua primeira reserva em um coworking!

X