Flexibilidade no Trabalho

3 tipos de flexibilidade no trabalho que os funcionários atuais esperam

Redação BeerOrCoffee
Escrito por Redação BeerOrCoffee em julho 5, 2022
7 min de leitura
3 tipos de flexibilidade no trabalho que os funcionários atuais esperam
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

A flexibilidade no trabalho é caracterizada por jornada e/ou local de atuação ajustável. Ela depende de um acordo entre a empresa e os funcionários, a fim de que os profissionais acomodem melhor os seus compromissos pessoais e profissionais. Atualmente, há três aspectos priorizados pelos colaboradores. Para saber quais são eles, leia o artigo!

flexibilidade no trabalho
Standsome Worklifestyle / Unsplash

É bem provável que você já tenha ouvido falar na flexibilidade no trabalho. Esse conceito já existe há vários anos. No entanto, cresceu nos últimos tempos, muito por conta da pandemia da COVID-19.

Afinal, por conta da crise sanitária, novos formatos de atuação precisaram ser testados para que as atividades operacionais das empresas continuassem sendo executadas. Um deles foi o trabalho flexível.

Tal realidade fez com que o conceito de flexibilidade no trabalho fosse modificado. Empregados e empregadores perceberam que é possível ter qualidade trabalhando em home office ou remotamente, por exemplo.

Porém, segundo uma pesquisa da McKinsey, a verdadeira flexibilidade é muito maior do que a liberdade de trabalhar remotamente. Por isso, muitas empresas ainda erram o alvo ao definir as suas políticas.

De acordo com o estudo, há três aspectos de flexibilidade que são priorizados pelos colaboradores no pós-pandemia. Para entender mais sobre isso, continue conosco!

Checklist dos novos formatos de trabalho

Como a flexibilidade no trabalho foi remodelada?

A flexibilidade no trabalho foi remodelada no pós-pandemia. De modo geral, os funcionários esperam ter mais equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Isso porque as pessoas passaram a valorizar mais as relações familiares e as amizades, bem como os cuidados com a saúde e as atividades de lazer.

Nesse sentido, as empresas precisam buscar meios para incluir essas necessidades em suas políticas.

Por exemplo, ao adotar o trabalho híbrido, a empresa permite que, em alguns dias ou momentos, o funcionário possa viajar e trabalhar em outras cidades.

Assim, ele pode passar uma temporada relaxando em uma cidade litorânea ou visitando familiares.

Tudo isso com o suporte da empresa, que pode oferecer a assinatura de uma plataforma de coworkings. Assim, é garantido o acesso à infraestrutura necessária para o profissional trabalhar em diferentes localidades.

Qual é a importância da flexibilidade no trabalho?

A flexibilidade no trabalho é crucial para atrair e reter talentos. Especialmente, porque os colaboradores estão priorizando as organizações com essa característica.

Para você ter uma ideia, de acordo com um estudo do LinkedIn, 78% dos profissionais brasileiros já perceberam que é possível ter uma jornada de trabalho mais flexível, sem perder a qualidade.

Além disso, já ficou comprovado por várias pesquisas que o trabalho flexível aumenta a produtividade e a inovação dos funcionários.

Outro ponto relevante e que justifica a importância do trabalho flexível é a redução de custos que o formato proporciona.

Como os funcionários poderão trabalhar em casa ou em coworkings, a organização necessitará de menos espaço de escritório. Isso reduz as despesas com aluguel, condomínio, contas de internet, água e energia, entre outras.

Lembre-se de que o capital humano é o que mais as empresas necessitam para ter sucesso em suas operações. Por isso, tornar-se realmente flexível é algo de primeira necessidade para garantir vantagens aos colaboradores e se tornar atrativa no que se refere à retenção de talentos.

flexibilidade no trabalho
Austin Distel / Unsplash

3 tipos de flexibilidade no trabalho esperadas pelos funcionários

Como comentamos, segundo um levantamento feito pela McKinsey, há três tipos de flexibilidade no trabalho esperados pelos funcionários. Chegou a hora de conhecê-los. Vamos lá?

1. Local de trabalho

A pesquisa da McKinsey apontou que nove em cada 10 colaboradores desejam ter o controle de onde o trabalho pode ser feito, independentemente da função ser presencial, remota ou híbrida.

Portanto, os líderes devem considerar maneiras de realmente dar aos funcionários uma sensação de controle sobre onde eles trabalham.

Acredita-se que, somente assim, os colaboradores realmente poderão vivenciar a cultura do anywhere office, ou seja, do trabalho realizado em qualquer lugar.

A McKinsey classifica os modelos de trabalho híbrido com dias definidos no escritório como falsamente flexíveis, tendo em vista que os colaboradores não podem realmente escolher o local de trabalho.

Guia Completo do AnywhereOffice (2)

2. Carga horária cumprida

Os funcionários também querem ter mais liberdade em relação à carga horária cumprida.

“Bater cartão” e trabalhar das 8h às 18h é algo que já está fora de cogitação para grande parte dos profissionais.

A ideia é que os colaboradores possam escolher não apenas o local, mas também os horários em que vão trabalhar.

No anywhere office, as empresas cobram muito mais por demanda cumprida dentro do prazo do que por horas trabalhadas.

Assim, se uma pessoa se considera mais produtiva trabalhando de madrugada, por exemplo, pode fazer isso. Inclusive, há coworkings que funcionam 24 horas por dia e proporcionam tal feito.

Em suma, os funcionários esperam que as organizações confiem que as atividades serão feitas, independentemente de carga horária.

Vale lembrar que, no Brasil, o modelo de contratação por produção, e não por jornada, já tem aporte legal. A MP do trabalho remoto já possibilita que funcionários sejam admitidos sem a definição de uma determinada quantidade de horas a ser trabalhada.

3. Modo de execução das atividades

O modo de execução das atividades também é considerado importante pelos colaboradores.

Segundo o estudo da McKinsey, quatro em cada cinco funcionários híbridos ou remotos relataram que ter controle sobre como as tarefas são realizadas pesou no momento de aceitar a vaga que ocupam atualmente.

A McKinsey também trouxe um exemplo de uma empresa de tecnologia, mídia e telecomunicações que incentiva os funcionários a tomarem frente e buscarem novas formas de realizar as atividades.

Nessa organização, quando um funcionário experiente automatiza uma tarefa demorada, por exemplo, ganha horas extras de folga. Ele pode tirar um day off ou prolongar o intervalo de almoço em alguns dias, por exemplo.

A flexibilidade no trabalho é fundamental para as empresas contemporâneas. Somente conhecendo esse princípio e trabalhando-o da forma correta será possível ganhar vantagem competitiva na atração de novos talentos e na retenção de colaboradores na organização.

Para oferecer um trabalho realmente flexível aos seus colaboradores, você pode contar com soluções como o OfficePass, uma assinatura que dá acesso a centenas de escritórios para a sua equipe trabalhar onde e quanto precisar. Faça um teste grátis por 30 dias e veja como a nossa solução pode revolucionar a flexibilidade no trabalho da sua empresa!

OfficePass

Faça sua primeira reserva em um coworking!

X