Futuro do Trabalho

Problemas do trabalho remoto que precisamos resolver em 2022

Redação BeerOrCoffee
Escrito por Redação BeerOrCoffee em dezembro 27, 2021
Problemas do trabalho remoto que precisamos resolver em 2022
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Os problemas do trabalho remoto estão relacionados ao bem-estar dos colaboradores, progressão na carreira, definição do regime a ser implementado e confiança. Apesar de parecerem isolados, cada um desses fatores interfere no outro. Por isso, precisam ser trabalhados em conjunto. Entenda.

Se existe algo que as empresas aprenderam durante a pandemia foi lidar com os problemas do trabalho remoto. A mudança inesperada pegou muita gente de surpresa e exigiu uma adaptação nunca vista. Hoje, as companhias precisam fazer uma escolha: é melhor o trabalho remoto, híbrido ou presencial?

A verdade é que não existe resposta certa. Cada empresa tem um ambiente corporativo específico, com seus desafios e pontos positivos. No entanto, quem está em busca pelos novos formatos de trabalho precisa considerar os problemas que surgiram. Afinal, eles precisam ser resolvidos em 2022.

Nessa análise, considere a sua experiência para saber o que realmente é essencial para o seu negócio. Ainda assim, existem problemas no trabalho remoto que são recorrentes. Por isso, vamos listar os principais neste artigo. Confira.

Problemas do trabalho remoto

Produtividade x bem-estar

Durante a pandemia, as empresas perceberam que horas trabalhadas e onde o colaborador está não significam que as entregas serão prejudicadas. Pelo contrário, em muitos casos, a produtividade melhorou. Isso é o que apontam alguns estudos.

Um deles, inclusive, mostrou que 58% dos entrevistados se sentiam mais produtivos ou significativamente mais produtivos fora do escritório. Esses dados são relativos ao Brasil e foram verificados pela Fundação Dom Cabral. No mundo, o mesmo movimento pode ser verificado. Tanto é que a pesquisa Futuro do Trabalho, da Omdia, mostrou que 68% das empresas acreditam que a produtividade dos funcionários melhorou.

Portanto, os modelos remoto e híbrido são uma das principais tendências para gestão e liderança em 2022. Aliás, o levantamento da Omdia indicou que 58% querem optar por um estilo híbrido ou ficar na alternativa home-based como principal.

O que é uma boa notícia também se revela preocupante. A produtividade tem um lado obscuro quando falta um bom gerenciamento. Isso porque pode levar à sobrecarga de trabalho, à fadiga excessiva e à síndrome de burnout — uma coisa como consequência da outra.

Esses aspectos também são verificados por meio de pesquisas. Para ter uma ideia, o estudo da Fundação Dom Cabral revelou que:

  • 20,6% dos entrevistados temem ter perda de convívio social com o trabalho remoto;
  • 15,5% receiam ter uma carga de trabalho maior;
  • 13,5% têm medo de apresentarem piora de comportamento devido à ausência de convívio com outras pessoas;
  • 24% relatam terem um volume de horas trabalhadas maior;
  • 16% destacam terem apresentado dificuldade de relacionamento e comunicação — ambos os quesitos registraram o mesmo percentual;
  • 14% receiam o equilíbrio com as demandas pessoais.

Em outras palavras, o equilíbrio entre vida pessoal e profissional é um dos problemas do trabalho remoto. Esse é um dos motivos pelos quais as empresas pretendem se preocupar mais com a saúde mental e o bem-estar dos colaboradores. Algumas delas já começaram.

Afinal, 576 mil pessoas pediram afastamento do trabalho devido a transtornos comportamentais e mentais em 2020. Com isso, 78% das empresas querem implementar ações de bem-estar e saúde na rotina dos colaboradores até 2024.

Progressão na carreira

Quando os colaboradores estão no escritório, existe uma possibilidade maior de terem seus trabalhos acompanhados. No trabalho remoto, há dificuldade em fazer esse monitoramento. Muito dessa situação é derivada do modelo de escritório tradicional. Ainda assim, tende a interferir na possibilidade de progredir na carreira.

Essa preocupação é tão presente que um levantamento da Korn Ferry mostrou que 58% acreditam que teriam dificuldade em ocupar uma posição profissional melhor se ficassem trabalhando remotamente. Por isso, acabam voltando ao modelo presencial.

Além disso, 70% da geração Z acredita que o trabalho remoto pode impactar a progressão na carreira. Ou seja, ainda que seja visível que os funcionários sentem falta da interação pessoal, o fator para permanecerem no trabalho presencial nem sempre passa por essa questão. Portanto, é um problema que precisa ser combatido. Caso contrário, pode afetar a produtividade e gerar outros impactos negativos.

Problemas do trabalho remoto

Trabalho remoto x flexível x híbrido

De uma hora para outra, esses termos começaram a ser abordados. A questão é: qual a diferença entre eles? Bom, o trabalho remoto consiste na estratégia em que o profissional está 100% fora do escritório. Por isso, ele pode estar em qualquer lugar do Brasil ou do mundo, sem contar que pode trabalhar de casa, de um restaurante, de um coworking, ou seja, de onde quiser.

Por sua vez, o trabalho híbrido indica que o colaborador ficar parte da semana no escritório e o restante dos dias fora dele. O trabalho também pode ser realizado de qualquer lugar. No entanto, a pessoa precisar estar na mesma cidade ou em um município próximo. Afinal, precisa comparecer na empresa.

Enquanto isso, o regime flexível ocorre quando se oferece um modelo mais tolerante, em que o profissional tem mais liberdade para sair, tirar algumas folgas, que horário vai fazer etc. De modo geral, ele define como e quando vai trabalhar.

É fundamental entender essas diferenças para que seja possível implementar o modelo de trabalho mais adequado. Assim, você evita a dúvida: o que fazer quando o trabalho remoto não está funcionando? Afinal, tudo estará bem definido.

Confiança nos trabalhadores remotos

Outro problema do trabalho remoto é a confiança. É comum que os gestores acabem fazendo o microgerenciamento. Porém, o foco deve começar a ser as entregas e a produtividade, em vez do monitoramento do que está sendo realizado.

Apesar de haver desafios na gestão, é importante criar mecanismos que permitam saber se o trabalho é executado sem ficar monitorando quantas horas a pessoa fica online, por exemplo. Aqui, é importante usar a criatividade e considerar a situação da sua empresa. Caso contrário, o relacionamento com os colaboradores tende a ser prejudicado e isso interfere em várias questões, como a produtividade e a eficiência.

Todos esses pontos negativos existem e precisam ser considerados. Porém, é possível superá-los. Como? Uma resposta é oferecendo toda a infraestrutura necessária para a boa execução dos trabalhos.

Esse é o caso de contar com uma rede de coworkings. Assim, os profissionais podem trabalhar de qualquer lugar com internet de qualidade, espaço apropriado e o que mais precisarem. Ter esse ambiente à disposição já é uma forma de evitar todos esses problemas do trabalho remoto.

Quer conhecer uma plataforma que centraliza centenas de escritórios compartilhados para sua equipe, disponíveis onde e quando sua equipe precisar? Acesse o site do BeerOrCoffee e conheça todos os coworkings para escolher aquele mais adequado ao que sua empresa exige!

OfficePass do BeerOrCoffee

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.