Futuro do Trabalho

Como está sendo a experiência de 11 empresas globais na busca pelos novos formatos de trabalho

Redação BeerOrCoffee
Escrito por Redação BeerOrCoffee em novembro 23, 2021
Como está sendo a experiência de 11 empresas globais na busca pelos novos formatos de trabalho
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

A busca pelos novos formatos de trabalho exige criatividade, análise do cenário organizacional e demanda dos colaboradores. Entenda como 11 empresas globais estão se adaptando.

Você já deve ter ouvido falar que muitas empresas estão em busca dos novos formatos de trabalho. Essa é uma tendência em várias partes do mundo, especialmente depois da experiência do trabalho remoto durante a pandemia do coronavírus.

Apesar de ainda surgir dúvidas em muitas organizações, várias companhias já entenderam o que a lei brasileira diz sobre o home office. Outras ainda estão se adaptando ao novo cenário e aplicando novas estratégias e ferramentas. Também existem aquelas que optam pelo modelo tradicional.

Não existe resposta certa. Cada companhia adota o modelo que achar melhor. Mas quais delas estão na busca pelos novos formatos de trabalho? E quais são esses modelos? Para responder essas perguntas e mostrar as principais tendências para as equipes em 2022, apresentamos 11 cases globais para você se inspirar. Confira.

busca pelos novos formatos de trabalho

1. Hubspot

Para a Hubspot, o que importa são os resultados. Cerca de 10% dos funcionários já trabalhavam a distância antes mesmo da pandemia. Essa característica facilitou o processo de desenvolver uma cultura forte em times remotos.

Além do mais, ⅔ dos funcionários já disseram que desejam trabalhar remotamente após a reabertura dos escritórios e 16% preferem ficar no regime 100% a distância.

A Hubspot percebeu as oportunidades a partir do trabalho remoto, especialmente, no que se refere a talentos. Nas palavras da empresa, “estamos empolgados com as possibilidades abertas pelo trabalho remoto para as pessoas em áreas rurais, que historicamente não tiveram a opção de perseguir o trabalho que amam devido ao lugar que moram”.

Agora, são oferecidas 3 opções de modelos de trabalho aos colaboradores:

  • Escritório: a pessoa comparece 3 dias ou mais da semana e tem uma mesa específica para ela. Inclusive, pode utilizar o computador do trabalho em casa;
  • Flex: o colaborador comparece ao escritório 2 dias ou menos por semana. O sistema de mesas é o hot desking. Porém, há auxílio para trabalhar a distância;
  • Casa: o trabalho é realizado, na maior parte do tempo, em um local aprovado pela Hubspot. Ele é seguro e tem toda a infraestrutura necessária. 

2. Dropbox

A revolução do trabalho remoto também chegou ao Dropbox. A empresa afirma que sempre buscou a criatividade e a colaboração. Por isso, tinha escritórios desenhados especificamente para essa finalidade. Inclusive, os colaboradores já podiam optar por trabalhar bem ao estilo anywhere office.

Ainda assim, a maioria preferia o modelo presencial. Agora, o cenário se inverteu. Uma pesquisa realizada internamente mostrou que aproximadamente 90% não querem retornar ao modelo rígido de 5 dias de trabalho no escritório por semana.

Entretanto, o esgotamento emocional no trabalho remoto se fez presente. A cultura organizacional também começou a se perder. Por isso, a Dropbox passou a buscar alternativas para resolver esses problemas. Especialmente, porque os benefícios do trabalho remoto superaram os pontos negativos.

Segundo a empresa, nenhum dos cenários atuais parece ser ideal. O trabalho remoto tem suas limitações. Já o híbrido pode oferecer dois tipos de experiência totalmente diferentes, que podem dificultar a inclusão e a igualdade entre os colaboradores.

Nesse sentido, o modelo criado é embasado em 5 metas:

  • Suporte à missão organizacional;
  • Liberdade e flexibilidade aos colaboradores;
  • Preservação da conexão humana e da cultura organizacional;
  • Sustentação à saúde de longo prazo da companhia;
  • Retenção da mentalidade de aprendizado.

O Dropbox passou a ser virtual first. Ou seja, o trabalho remoto será a prioridade, mas com o incentivo à colaboração. Para isso, a empresa vem adotando algumas boas práticas:

  • Oferta de escritórios flexíveis em vários locais para os colaboradores participarem;
  • Dias de trabalho não lineares, com possibilidade dos colaboradores definirem seu cronograma;
  • Experiência do colaborador baseada no virtual first. A ideia é ter um ecossistema holístico de recurso e um time dedicado a fornecer o suporte necessário.

principais dificuldades das empresas de tecnologia no trabalho híbrido

3. Reddit

A busca por novos formatos de trabalho também atingiu o Reddit. Com foco no desenvolvimento contínuo, a empresa passou a enxergar oportunidades para melhorar o trabalho remoto dos colaboradores.

Uma das medidas adotadas é a comunicação assíncrona. Isso porque os colaboradores podem trabalhar de onde quiserem, ou seja, totalmente remotos, 100% no escritório ou uma combinação.

Com a retomada do trabalho nos escritórios, as equipes estão sendo incentivadas a equilibrar essas questões, já que algumas atividades exigem a presença do funcionário. Assim, a empresa apoiará todos que se sentirem produtivos em casa e pretende contratar cada vez mais talentos de vários lugares diferentes.

Quem optar por trabalhar no escritório, terá o sistema hot desking à sua disposição. Por isso, a Reddit reformula seus processos, fluxos de trabalho e cultura para facilitar o trabalho remoto.

4. Figma

A Figma reconheceu a importância do trabalho remoto e opta pelo modelo híbrido na reabertura dos escritórios. As opções são apresentadas ao colaborador e é ele quem toma a decisão. Porém, para chegar a essa conclusão, a empresa fez uma pesquisa interna.

Por isso, toda política foi revisada com base nas respostas dos colaboradores. Os dados foram compilados, mas algumas opiniões eram divergentes. Restou à gestão tomar algumas decisões. 

Nesse processo, algumas companhias que adotam o trabalho híbrido foram consultadas para chegar ao melhor regime. O resultado foi o seguinte:

  • Hubs: todos poderão se associar a um desses locais ou atuar de forma remota. No hub, o modelo será flexível e o colaborador será esperado durante dois dias específicos da semana;
  • Remoto: é preciso adotar a sobreposição de horas de trabalho para ser aprovado.

De toda forma, ainda foram realizadas melhorias na comunicação entre os colaboradores. Sem contar na adoção de estratégias para monitorar funcionários sem microgerenciá-los. De toda forma, a conclusão da empresa é que ainda falta adaptar seus processos para o trabalho híbrido, focando a comunicação assíncrona.

5. Coinbase

A empresa deixou claro que se tornaria remote first e pediu que todos os colaboradores mudassem sua forma de trabalho. Segundo o diretor executivo, Brian Armstrong, “(…) eu passei a acreditar que o trabalho remoto está aqui para ficar, e representa uma grande oportunidade e uma vantagem estratégica para nós”.

Todos os colaboradores que quiserem poderão continuar trabalhando do escritório, mas haverá a possibilidade do trabalho 100% remoto ou híbrido. De toda forma, é exigida uma mudança de mentalidade e comportamento para que a experiência do profissional seja a mesma em qualquer lugar.

6. Shopify

O anywhere office virou o mantra da Shopify. A ideia é colocar o digital como padrão. Isso implica tanto a realização do trabalho fora de casa quanto a mudança de mentalidade e processo decisório.

A empresa visa continuar construindo relacionamentos, confiança e contexto a partir da capacidade de se adaptar. A experiência é centrada nos colaboradores. Por isso, existe uma equipe dedicada a fazer o onboarding e oferecer suporte sempre que necessário.

7. Twitter

O Twitter sempre focou a descentralização e o suporte à equipe de trabalho distribuída em vários locais. Por isso, continuou oferecendo essa possibilidade no retorno ao escritório. A decisão é totalmente dos colaboradores.

Além disso, os escritórios foram remodelados para o retorno para garantir a segurança dos profissionais. Isso implicou cuidados extras e uma volta gradual para evitar aglomerações. Tudo isso com o apoio da equipe especializada, criada logo no começo da pandemia.

busca pelos novos formatos de trabalho

8. Slack

O Slack criou um documento sobre a disrupção no trabalho. Ele foi embasado em outras companhias e chegou a 5 principais etapas de aceleração:

  • Fim do escritório;
  • Agilidade;
  • Abertura;
  • Últimos suspiros do trabalho analógico;
  • Cultura como prioridade.

Cada um desses estágios está aprofundado no material, que pode ser consultado por qualquer pessoa. Além disso, o foco foi o empoderamento dos colaboradores para que eles pudessem realizar melhor o seu trabalho e tomar decisões mais eficientes.

9. Spotify

A empresa implementou o sistema de trabalho em qualquer lugar. É a mentalidade distributed-first, que permite ao colaborador definir se prefere trabalhar de casa ou de um escritório em qualquer lugar.

O objetivo é fornecer as ferramentas necessárias ao colaborador para ele equilibrar sua vida pessoal e profissional, aumentar sua produtividade e melhorar sua comunicação e práticas, processos e ferramentas de colaboração.

Além disso, a empresa começou a revisar seus escritórios em todo o mundo. Nos locais em que não havia uma filial, mas tem colaboradores, tratou de oferecer um espaço confortável e eficiente para os profissionais trabalharem, como um coworking.

10. Grammarly

O modelo da Grammarly é inovador. A empresa chama de híbrido remote first. A experiência foi montada a partir das vivências durante a pandemia. 

O remote first se refere ao formato que assume que todos os profissionais da equipe estão remotos. A ideia é construir um espaço igualitário para todos terem a mesma oportunidade e transparência.

Por sua vez, o híbrido é devido à necessidade de interação individual para a construção de relacionamentos e onboarding. Assim, é possível incentivar a inovação. Por isso, o Grammarly incentiva a colaboração face a face entre as equipes em situações específicas, como retrospectiva, kick-offs de projetos, brainstorming, entre outros.

Além disso, os escritórios foram repensados como hubs. Ou seja, eles passam a ser espaços de conexão, reunião e trabalho em equipe.

principais dificuldades das empresas de tecnologia no trabalho híbrido

11. Mailchimp

O foco do Mailchimp é oferecer um framework flexível. Para isso, existem 4 opções de trabalho para os profissionais:

  • WFH: os colaboradores ficam prioritariamente em casa ou são totalmente remotos, com visitas ocasionais ao escritório durante o ano. Nesse caso, é preciso agendar uma mesa ou espaço no lugar que visitar;
  • HomeFlex: os colaboradores ficam 2 dias por semana no escritório de forma planejada e regular. É possível agendar uma mesa com estrutura completa e ter um local para armazenar os pertences;
  • OfficeFlex: os colaboradores ficam 3 dias ou mais por semana no escritório. Haverá mesas dedicadas ou um espaço específico;
  • Office: os colaboradores trabalham do escritório que desejarem e têm alguns dias de trabalho em casa. Também haverá uma mesa ou espaço dedicado.

Essa configuração partiu de uma pesquisa com os colaboradores. Nela, a maioria dos profissionais disse querer flexibilidade, sendo que 76% preferem ir ao escritório 2 vezes por semana, no máximo.

Fica claro que existem várias opções. Por isso, é importante se inspirar na hora de fazer a busca pelos novos formatos de trabalho. Assim, sua empresa estará mais preparada para enfrentar os cenários que se apresentam. Busque contar com soluções especializadas, como uma assinatura de coworkings, que permite acesso a centenas de espaços em todo o Brasil.

É isso que você deseja? Conheça o OfficePass do BeerOrCoffee, entenda como ele funciona e adapte a realidade da sua empresa aos novos formatos de trabalho.

OfficePass do BeerOrCoffee

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.