Anywhere Office

A pandemia matou o escritório tradicional? Veja onde e como encontrar escritório para equipes remotas e híbridas

Redação BeerOrCoffee
Escrito por Redação BeerOrCoffee em novembro 1, 2021
A pandemia matou o escritório tradicional? Veja onde e como encontrar escritório para equipes remotas e híbridas
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Ter um escritório para equipes remotas e híbridas representa ter uma solução capaz de atender a todas as preferências dos profissionais. É preciso encontrar alternativas e responder à seguinte pergunta: a pandemia matou o escritório tradicional? Neste post, apresentamos reflexões que podem fazer a diferença — para melhor — na sua empresa. 

O escritório para equipes remotas e híbridas vem sendo o foco em mundo de pós-pandemia. Isso porque muitos gestores veem essa alternativa como a mais viável no momento. Vários motivos levam a isso: necessidade de isolamento social, preferência por parte de alguns colaboradores, percepção de que o trabalho a distância também é eficiente, entre outros.

Qualquer que seja a razão, a verdade é que algumas empresas entendem que essa é uma evolução. Afinal, a pergunta que surge é: a pandemia matou o escritório tradicional? A resposta depende da análise de algumas variáveis.

Uma delas se refere à própria história do ambiente corporativo. Iniciado na Idade Média, o escritório estava inserido em mosteiros e servia como um local de assinatura de documentos. Aos poucos, ganhou outros contornos, até chegar aos anos 1950 e 1960, em que a configuração era de salas reservadas para gerentes e diretores.

Já nos anos 2000, os espaços cada vez mais abertos, com mesas compartilhadas, tornaram-se cada vez mais comuns. Com o passar dos anos, algumas empresas investiram em áreas comuns, inclusive com videogames, mesa de ping pong e outras particularidades, com o objetivo de deixar o ambiente mais leve e atrativo.

Nesse cenário, também surgiram os coworkings. Inicialmente voltados para autônomos, os chamados escritórios compartilhados ganharam força com o advento das estratégias de trabalho híbrido. Afinal, são ambientes mais amigáveis para receber equipes que atuam em formatos flexíveis. 

Dentro desse cenário, o que permanecerá no futuro? É o que vamos mostrar neste post, a partir de uma reflexão sobre a possibilidade da pandemia ter matado o escritório tradicional. Então, que tal avaliar o contexto e chegar à sua conclusão?

A pandemia matou o escritório tradicional? Veja as perspectivas para o futuro

Para começar, vamos pensar sobre o futuro do trabalho. No entanto, precisamos voltar no tempo para avaliar as perspectivas. Mais especificamente, devemos retornar ao ano de 2014, quando o fim do escritório tradicional começou a ser decretado — pelo menos, por alguns especialistas.

Na época, o motivo era o cloud computing. Até então, as pessoas precisavam estar no escritório para terem acesso aos arquivos corporativos. Quando isso não fosse possível, a empresa precisava estabelecer o FTP. Essa tecnologia permite compartilhar arquivos entre dois computadores conectados à internet.

Em um primeiro momento, essa ferramenta resolvia os problemas. No entanto, a grande maioria dos trabalhadores precisava estar no escritório. Caso contrário, era necessário fazer a conexão via FTP com cada um dos notebooks dos funcionários. Ou seja, era um processo muito burocrático.

Nesse momento, até poderia se falar em políticas de trabalho híbridas, mas de maneira ainda incipiente. Os coworkings já existiam e eram um ambiente de trabalho válido. Contudo, nem sempre eram viáveis para todos os tipos de negócio.

Mudanças na pandemia

Esse cenário já vinha mudando, mas sofreu um impacto significativo com a pandemia do coronavírus. Do dia para a noite  — quase que literalmente —, a maioria das empresas no Brasil e no mundo precisaram sair do escritório tradicional e alocar seus colaboradores no home office.

Muitas lidam bem com o desafio. Ofereceram auxílio para que os funcionários conseguissem se instalar em suas casas e, agora, oferecem espaços em coworkings. Outras têm mais dificuldades. Querem garantir que todos fiquem no mesmo ambiente por acreditar que isso aumenta a produtividade.

Na verdade, não existe uma certeza. Nesse momento, surgem várias possibilidades para o chamado “novo normal”. De um lado, há o compartilhamento permitido pelo escritório. Os defensores dessa alternativa acreditam que isso ajuda a criar valor. Por outro lado, pesquisas apontam que, em excesso, esse cenário causa o efeito contrário.

O levantamento alega que muita interação sem o mesmo nível de privacidade gera problemas, especialmente no que se refere à produtividade, ao engajamento e ao bem-estar dos profissionais. Portanto, os bons resultados dependem da colaboração em conjunto com a individualidade de tempo e lugar para focar e recarregar as energias.

Pode parecer contraditório, mas é o que vemos em outras pesquisas. Depois de tanto tempo longe do escritório tradicional, os gestores de equipes remotas tendem a enfrentar desafios. Ao menos, foi o que revelou um estudo da Korn Ferry.

Segundo a Korn Ferry, 70% dos colaboradores acreditam que a tendência é o trabalho remoto. Esse mesmo percentual também destacou que voltar ao escritório será “difícil” e “estranho”. Ainda foi apontado que:

  • 55% ficam estressados com a ideia de voltar ao escritório;
  • 58% acreditam não ter escolha, já que admitir a preferência pelo trabalho remoto levaria a prejuízos no desenvolvimento de sua carreira;
  • 74% admitem ter mais foco e energia ao trabalharem fora do escritório;
  • 49% recusariam uma proposta de emprego se fosse obrigatório trabalhar no escritório em tempo integral.

Ou seja, essa preferência existe e vem sendo adotada por algumas das principais empresas do mundo. Entre elas estão Amazon, Citigroup In., Facebook, Microsoft, HSBC, Spotify e muitas outras. Portanto, a lista reúne desde companhias tradicionais até as de tecnologia, que são mais inovadoras.

Ainda assim, é difícil afirmar que a pandemia matou o escritório tradicional. O que se percebe é uma tendência de flexibilização do trabalho. Isso acontece especialmente por conta das tecnologias, que ajudam em vários processos, como na realização de reuniões e no onboarding de equipes remotas.

Escritório para equipes remotas e híbridas

Quais são as alternativas de escritório para equipes remotas e híbridas?

Nesse cenário, fica claro que vale a pena pensar em um escritório para equipes remotas e híbridas. Tanto pela necessidade das empresas quanto pela preferência dos colaboradores. Portanto, as companhias precisarão se reinventar.

Inclusive, o novo modelo de trabalho já é avaliado por integrantes da Harvard Business School. Os profissionais decretaram que a pandemia matou os escritórios tradicionais. Segundo eles, o ambiente profissional precisa mudar para o trabalho remoto. Ao mesmo tempo, também dizem que a pandemia mudou a maneira de pensar em relação a várias questões.

Por isso, a Harvard Business School ouviu vários profissionais para ter uma ideia do novo ambiente de trabalho. Confira algumas ideias a seguir.

Julia Austin, executiva no Rock Center for Entrepreneurship – acredita que será necessário fazer mudanças no escritório tradicional. A flexibilidade se torna necessária devido a uma demanda dos colaboradores. Por isso, ela recomenda que os gestores estruturem o tempo na empresa para garantir o máximo aproveitamento. Além disso, acredita que é necessário trazer eficiência às reuniões e garantir que as pessoas estejam no escritório com foco na colaboração.

Arthur C. Brooks, professor da Harvard Business School – entende que a pandemia levou as empresas a ingressarem na cultura do trabalho remoto e que esse movimento foi positivo. No entanto, sugere a necessidade de considerar o trabalho híbrido, ao estilo anywhere office. Isso porque muitos colaboradores preferem ficar fora do escritório, mas outros acreditam que é bom ter contato com outros profissionais. Ao combinar os modelos, é possível priorizar a saúde mental e a flexibilidade.

Prithwiraj Choudhury, professor associado – percebe que a pandemia acelerou a adoção do trabalho remoto, inclusive do anywhere office. Por isso, alega que esse modelo tende a permanecer no pós-pandemia. Ele indica que é importante considerar essa possibilidade e estruturar esse modelo para permitir que os profissionais possam se encontrar fisicamente em alguns momentos. Além disso, a comunicação assíncrona deve ser fortalecida, assim como a codificação do conhecimento.

Todos esses depoimentos denunciam uma mudança do ambiente de trabalho. O escritório para equipes remotas e híbridas precisa ser uma adaptação do modelo tradicional, ainda que sua empresa opte pelos colaboradores no regime presencial em alguns dias da semana.

Assim, é preciso se reinventar. Uma alternativa é utilizar uma solução de assinatura de escritórios compartilhados, como o OfficePass. Essa é uma opção para quem deseja implementar o trabalho remoto e híbrido, já que a empresa tem coworkings em todo o Brasil à sua disposição, com a estrutura necessária.

Assim, fica claro que sua empresa precisa ter um escritório para equipes remotas e híbridas. Dessa forma, estará preparada para qualquer cenário que se apresente. Ou seja, mesmo que não se possa afirmar que a pandemia matou o escritório tradicional, a verdade é que o ambiente corporativo mudou – provavelmente, para sempre.

Quer preparar sua empresa com baixo investimento e garantir toda a estrutura necessária com escritórios ilimitados? Confira o OfficePass e veja como o BeerOrCoffee pode ajudar seu negócio.

OfficePass do BeerOrCoffee

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.