Futuro do Trabalho

4 quebra-gelos para reuniões remotas mais produtivas e eficazes

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em setembro 23, 2021
4 quebra-gelos para reuniões remotas mais produtivas e eficazes
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Fazer reuniões remotas mais produtivas é um dos principais desafios desse modelo de trabalho. Conheça 4 dicas de quebra-gelos para auxiliar em encontros virtuais!

O crescimento da aplicação do trabalho remoto trouxe desafios devido ao distanciamento das equipes. Nem sempre as pessoas estão acostumadas a lidar com a tecnologia e os encontros virtuais, o que pode trazer alguns desafios para as videoconferências.

Dessa forma, não basta contar com o suporte da tecnologia, como equipamentos e softwares adequados ou as salas de reuniões completas. É preciso saber como quebrar o gelo para integrar a equipe e permitir que a reunião flua melhor. Que tal aprender como fazer isso?

Neste post, falamos sobre a importância da formação de equipes virtuais e trouxemos uma lista com 4 quebra-gelos que você pode aplicar para ter reuniões remotas mais produtivas na empresa. Confira!

A importância de montar equipes remotas e do quebra-gelo

O conceito de “quebra-gelo” em reuniões remotas é uma estratégia para relaxar antes do início da reunião. Com isso, a tendência é que a mente consiga manter o foco nos tópicos que devem ser debatidos e, consequentemente, aumentar a colaboração da equipe. Afinal, a participação de todos é importante para ter mais insights e desenvolver estratégias. 

Todo esse contexto possibilita a criação de um ambiente perfeito para a interação. Ao mesmo tempo, vale destacar a importância de formar equipes virtuais e saber liderá-las. O motivo é simples: todas as tarefas cumpridas refletem no desempenho do negócio e podem afetar as atividades de outros profissionais. Assim, uma equipe alinhada consegue promover entregas com maior qualidade e eficiência.

Em uma realidade de trabalho remoto, a falta de contato pode deixar as pessoas pouco à vontade por diversos motivos, como a timidez. Nesse cenário, os quebra-gelos podem encorajar a interação entre o time, trazendo oportunidades para que tenham uma convivência mais próxima. 

Além disso, ajudam a reduzir a sensação de cansaço ou de ansiedade que as reuniões podem gerar, pois conseguem criar um estado de relaxamento. Assim, a estratégia se torna interessante em diversos contextos, inclusive nas reuniões híbridas — já que parte dos participantes não estará no mesmo ambiente.

Os 4 quebra-gelos para ter reuniões remotas mais produtivas

Você já aprendeu que a integração do time permite alinhar a equipe, pode gerar reuniões mais produtivas e colabora com o engajamento. Então, vale a pena conhecer as dicas para quebrar o gelo e ajudar os profissionais a ficarem mais à vontade durante encontros virtuais, não é? Confira 4 alternativas!

reuniões remotas mais produtivas

1. Café virtual

Um dos momentos mais comuns para a interação em empresas são os intervalos, pois permitem que todos se conheçam melhor. Que tal aproveitar esse conceito em reuniões? Pode ser o ponto de partida, com alguns minutos iniciais em que cada colaborador toma a sua bebida ou coma alguma coisa enquanto conversam casualmente. 

Depois, a sugestão é seguir para temas mais relevantes para o contexto da reunião, já com todos bem ambientados. Também é possível fazer adaptações, como almoços de negócios para discutir novas estratégias, mas, ao mesmo tempo, trazendo certa informalidade. É uma forma de ajudar as pessoas a se envolverem mais. 

A ideia também pode ser usada com uma integração, sem fins produtivos: uma reunião para bater um papo e conhecer o grupo — especialmente, após a entrada de mais pessoas na equipe ou da migração para o modelo remoto. Nesse caso, a reunião pode ter reflexos no futuro, trazendo resultados positivos para o time e a empresa. 

2. Jogos para se conhecer melhor

Dependendo do foco do negócio e do perfil do time, brincadeiras podem gerar oportunidades para descobrir afinidades e aprender mais sobre o outro. Nesse sentido, existe uma série de jogos de perguntas e respostas que podem ser aplicados no início de reuniões. Por exemplo:

  • Duas verdades, uma mentira: cada um deve citar três coisas sobre si (duas verdadeiras e uma não) para que os outros adivinhem qual é mentira;
  • Você prefere: o líder lança perguntas simples sobre preferências de hábitos ou dia a dia, apresentando duas opções para que todos respondam e identifiquem afinidades;
  • Perguntas rápidas: os participantes podem fazer perguntas uns para os outros, como questões engraçadas ou pessoais (sempre com limites estabelecidos para evitar constrangimentos);
  • Tire uma foto: antes de iniciar a reunião, cada um envia uma foto de um tema determinado, como a mesa de trabalho, um animal de estimação, a vista de onde está, entre outros.

Além disso, existem sites especializados que fornecem as ferramentas necessárias para a interação do time, sendo possível encontrar opções gratuitas e pagas. 

3. Dinâmica “sim, mas…” e “sim, e…”

Quando os times precisam trabalhar para construir ideias, uma dinâmica que pode ser interessante é a do “sim, mas”. Funciona assim: as pessoas se separam em grupos (caso a reunião tenha muitos participantes), ou jogam individualmente. Cada grupo ou profissional deve pensar em uma atividade específica, como um passeio, um evento etc.

Depois, é a hora de apresentar, de forma rápida e concisa. Na primeira rodada, os participantes que não se envolveram na ideia devem complementar com “sim, mas…” e acrescentar um motivo para que ela não funcione. Em seguida, é hora de mudar o foco, sendo que as respostas devem ser “sim, e…”, trazendo algo que complemente ou valide a ideia. 

Aqui, é possível perceber o poder do trabalho em equipe para desenvolver insights e identificar pontos negativos. Ao mesmo tempo, é possível entender como um posicionamento sabotador pode ser prejudicial — afinal, nem sempre um ponto contra é suficiente para invalidar uma estratégia, não é mesmo?

reuniões remotas mais produtivas

4. Música

As dinâmicas também podem envolver músicas: que tal deixar o time compartilhar recomendações, falando sobre bandas e músicas específicas que fazem parte da sua rotina? Aquela playlist para auxiliar na produtividade, ajudar a relaxar ou fazer exercícios pode ser tema da conversa inicial, antes de partir para os temas focados na empresa. 

No BeerOrCoffee, por exemplo, reuniões mensais com todo o time começam com uma música para quebrar o gelo e trazer um clima descontraído. A cada encontro, uma pessoa fica responsável pela função de DJ, colaborando com a integração do time. No final, um integrante da equipe também traz uma frase motivacional, visando incentivar o restante do pessoal. 

Além dessas quatro dicas, existem diversas alternativas de dinâmicas e team building que podem auxiliar em reuniões. A dica é pesquisar mais sobre elas para definir qual se alinha à cultura da sua empresa e ao perfil dos seus colaboradores para buscar reuniões remotas mais produtivas e eficazes.

Quer acompanhar mais dicas sobre o tema? Baixe o nosso e-book sobre como fazer reuniões eficazes e otimizar o tempo na empresa!

Texto escrito por Joanna Nandi, Redatora Web.