Carreira

Como demitir um funcionário remotamente? Um mini-guia empático

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em setembro 14, 2021
6 min de leitura
Como demitir um funcionário remotamente? Um mini-guia empático
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Em uma empresa, antes de lidar com profissionais, você se envolve com seres humanos que têm emoções, planos e sonhos, o que torna o processo de demissão delicado. Por isso, saber como demitir um funcionário remotamente da forma correta é fundamental. Para facilitar a situação, preparamos este mini guia com tudo o que você precisa saber sobre esse assunto. 

O mundo do trabalho mudou e, ao que tudo indica, algumas dessas mudanças são definitivas, como o trabalho remoto.

O conceito de anywhere office ou “trabalho em qualquer lugar” traz muitas vantagens para as empresas e seus colaboradores, mas também envolve alguns desafios, especialmente relacionados à Gestão de Pessoas.

Isso porque, em algum momento, talvez você perceba que um funcionário não está mais alinhado à equipe ou à empresa e, por esse motivo ou alguma outra razão, o desligamento seja necessário. 

Dessa forma, é essencial estar preparado para lidar com todos os estágios do ciclo de vida de um profissional remoto dentro da organização: desde a contratação remota até a demissão.

No entanto, antes de falarmos sobre o processo de desligamento em si, daremos dicas de como evitá-lo. Confira!

Demitir um funcionário é uma decisão sensível, mas é possível fazer isso com cuidado e empatia

Como evitar demissões remotas desnecessárias?

Demitir uma pessoa não é uma tarefa agradável e, antes de tomar essa decisão, é preciso considerar muitas questões, visto que, além do inevitável desconforto, a rotatividade de funcionários pode trazer prejuízos financeiros para seu negócio

Com isso, investir em estratégias de atração e retenção de talentos é essencial para a cultura empresarial e também para potencializar os resultados da organização. A seguir, veja 3 maneiras de impedir que pequenos problemas evoluam para o desligamento.

1- Estabeleça uma comunicação clara desde o início

Durante o trabalho a distância, a comunicação com o funcionário pode ser um pouco mais complicada. Ao mesmo tempo, é essencial que o funcionário seja capaz de entender como as coisas são feitas e avaliar a cultura da empresa para uma melhor integração. 

Nesse sentido, o onboarding de equipes remotas é uma excelente forma de aproximar os profissionais recém-contratados, mesmo com a distância física. Além disso, também é o melhor jeito de apresentar a organização para o colaborador como um todo e estabelecer, entre outras questões, formas de comunicação claras e assertivas.

2- Reconheça o esforço dos funcionários

Não se esqueça que, ao assinar o contrato, o colaborador se doa integralmente à organização. Dessa forma, é importante reconhecer esse esforço, mesmo quando a parceria não estiver mais dando certo.

Além disso, apreciar e valorizar o trabalho dos funcionários é uma maneira de mantê-los felizes e motivados, o que, consequentemente, impacta seus desempenhos individuais e os resultados da equipe de forma positiva.

Um jeito simples e prático de fazer isso é conceder feedbacks constantemente — se possível, a cada projeto entregue. Para isso, não é necessária uma grande cerimônia: basta dizer que o trabalho foi bem executado e destacar algo que chamou sua atenção durante o processo de realização.

3- Adapte a avaliação de desempenho ao trabalho remoto

Assim como o mundo do trabalho mudou, é importante que a avaliação de desempenho também mude e, principalmente, se adapte ao regime de trabalho remoto, incluindo tópicos que se apliquem especificamente à modalidade.

Uma sugestão interessante é inserir um tópico de autoavaliação nesse processo, visto que trabalhar a distância traz muito mais autonomia. No entanto, não crie novos critérios de avaliação repentinamente: comunique as mudanças à equipe com antecedência para que cada funcionário se adapte às novas expectativas.

Como demitir um funcionário remotamente: passo a passo para uma rescisão tranquila

Mesmo que você faça de tudo para evitar demitir um funcionário remotamente, pode ser que esse dia chegue e é importante estar preparado para isso.

Obviamente, independentemente de como essa decisão seja comunicada, será desconfortável. No entanto, por meio dos passos abaixo, é possível conduzir a situação de forma respeitosa, empática e tranquila.

1- Crie um plano de transição

O primeiro passo é planejar o processo de desligamento de forma geral. Portanto, escolha o dia e o horário em que a rescisão será comunicada e, se possível, dê preferência para o início da semana e o período da manhã. 

Assim, as chances de a pessoa passar o fim de semana se lamentando são reduzidas e as possibilidades de que ela decida buscar algo novo imediatamente aumentam.

Além disso, pense no que será dito, nas informações que serão passadas, no tempo que você irá reservar para essa conversa e nos meios de contato que serão disponibilizados ao profissional.

Nesse sentido, também é importante pensar no processo de offboarding e ter atenção, por exemplo, às ferramentas de trabalho remoto confidenciais.

2- Use a videoconferência

No trabalho remoto, a videoconferência é a forma de comunicação mais humana e empática. Por meio da imagem da câmera, é possível ler e compreender a linguagem corporal, as expressões faciais e o tom de voz de cada um.

Por esses motivos, comunicar a demissão por meio de uma chamada de vídeo é o mais indicado no trabalho à distância, sendo também uma boa maneira de identificar e preencher possíveis lacunas em relação à compreensão sobre a decisão.

2- Vá direto ao ponto

Não faça rodeios e comunique a demissão logo no início da conversa, para não gerar ansiedade ou frustrar as expectativas que podem ser criadas no decorrer da sua fala. Mas, atenção, ser direto não significa ser curto e grosso.

Após conversar com o profissional sobre o desligamento, explique as razões com calma e respeito, agradeça por sua colaboração durante o tempo em que ele fez parte do quadro de funcionários da empresa e diga o que mais achar necessário, sem se preocupar com o tempo gasto nesse diálogo.

3- Ouça o que o funcionário tem a dizer

Deixe o funcionário à vontade para falar sobre o que ele quiser, seja a experiência na organização ou algum descontentamento em relação à decisão, desde que ele use um tom respeitoso para tal. Por outro lado, se ele não quiser dizer nada, acate sua escolha.

Cada pessoa tem uma forma de reagir a notícias indesejadas e, desde que a reação não seja grosseira, é importante validá-la e acolhê-la da melhor forma possível. 

4- Explique o processo de rescisão

Assim como a admissão, a rescisão de um contrato envolve diversas burocracias que nem todos têm conhecimento. Portanto, explique ao colaborador o funcionamento do processo de demissão de forma detalhada e o tranquilize em relação aos seus direitos e benefícios

Além disso, também coloque-se à disposição para responder dúvidas e em caso de esclarecimentos mesmo após a reunião. Assim, certamente o profissional se sentirá mais seguro.

5- Notifique a equipe

Por fim, comunique a decisão ao restante da equipe. É comum que os profissionais se conectem e criem laços emocionais, mesmo no trabalho remoto. Por isso, é natural que haja reações e emoções.

No entanto, passe a mensagem de uma forma positiva e clara, a fim até mesmo de tranquilizá-los em relação à possibilidade de outras demissões, visto que esse é um pensamento que pode surgir após um desligamento.

Esperamos que este passo a passo de como demitir um funcionário remotamente ajude você a conduzir e lidar com essa situação complicada de uma forma mais simples e leve.  

Vale ressaltar que todas as empresas passam por momentos desafiadores em que pode ser necessário desligar os trabalhadores que não estejam alinhados ao momento do negócio. Entretanto, é importante evitar o turnover, que é a causa de muitos problemas nas organizações.

Para saber mais sobre o assunto, confira nosso conteúdo sobre 4 estratégias práticas para evitar o turnover nas empresas. Nele, você saberá como combater a baixa produtividade, evitar que os funcionários desenvolvam doenças relacionadas ao trabalho e ainda reduzir custos.

Texto escrito por Isabella Proença, Redatora freelancer e Bacharel em Administração