Trabalho Remoto

7 principais desafios do trabalho remoto — e como o trabalho híbrido pode ajudar

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em julho 13, 2021
7 principais desafios do trabalho remoto — e como o trabalho híbrido pode ajudar
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Entre os principais desafios do trabalho remoto estão aqueles relacionados à gestão do tempo, comunicação e segurança. Entenda como esses obstáculos podem ser superados com o trabalho híbrido.

Ficar longe do escritório tem muitas vantagens. Você consegue organizar melhor seus horários, evita a perda de tempo no trânsito e consegue ficar mais horas com a família. Mas, como nem tudo é um mar de rosas, também há dificuldades nessa mudança. A questão é: você sabe quais são os principais desafios do trabalho remoto?

Talvez responda que é a integração com a equipe. Quem sabe, considere que são os conflitos internos. Ainda há quem ache que a maior dificuldade é a concentração e a produtividade. Tudo isso está certo. Afinal, os entraves para você podem ser diferentes daqueles enfrentados por outra pessoa.

Ainda assim, existem desafios comuns à maior parte dos profissionais que atuam a distância. Esse é o ponto-chave, já que tem coisas sobre o trabalho remoto que ninguém te conta.

Para acabar com essa situação, neste post reunimos os maiores obstáculos desse modelo de atuação e explicamos como o trabalho híbrido pode ajudar. Então, que tal conferir a lista?

desafios do trabalho remoto

1. Dificuldade de se desconectar

Começamos com um dos maiores problemas do home office: a dificuldade de se desconectar. Quando você vive e trabalha no mesmo lugar, é normal entrar em uma rotina em que se está disponível 24 horas por dia. Como você já deve saber, isso não é nada saudável.

Trabalhar muito mais horas do que o necessário pode parecer normal e até útil em um primeiro momento, mas é uma realidade que não pode persistir. Por isso, é importante separar a vida pessoal da profissional.

Inclusive, esse é o segundo ponto para melhorar o trabalho remoto, segundo um levantamento realizado. A pesquisa apontou que 28,6% desejam implementar a flexibilidade de horários para garantir o equilíbrio entre as duas frentes da vida do colaborador.

Um dos motivos para esse cenário está apontado em um estudo sobre a tendência do trabalho futuro feito pela Microsoft. O levantamento indicou que a alta produtividade está embasada em uma força de trabalho exausta. É isso mesmo.

Segundo as entrevistas realizadas, 54% dos respondentes sentem a sobrecarga de trabalho. Além disso, 39% sentem a exaustão. Por sua vez, uma pesquisa da USP mostrou que a jornada de trabalho aumentou em 65% no trabalho em casa.

A solução, segundo o estudo, é o trabalho híbrido

No estudo da Microsoft, ele é apresentado como a nova grande disrupção. A ideia é simples: quem quer voltar ao escritório, volta. Quem deseja trabalhar em casa, no café e no coworking, por exemplo, também pode fazer isso.

Essa flexibilidade incentiva os talentos e ajuda a criar oportunidades. Além disso, a possibilidade de trabalhar de qualquer lugar permite dividir os horários entre vida pessoal e profissional.

Isso porque o colaborador pode optar por um coworking para trabalhar. Esses locais costumam inspirar os profissionais, porque têm um design e um layout específico para otimizar a concentração. A partir do momento que a pessoa sai de lá, pode se desligar do ambiente corporativo.

2. Comunicação ineficiente

Em plena pandemia, as equipes tiveram que aprender a trabalhar a distância. As ferramentas de comunicação se tornaram ainda mais úteis, mas nem todo mundo se ajustou. Muitos profissionais vivenciaram reuniões intermináveis e com pouco sentido. 

Ainda foram verificadas outras situações pouco produtivas, que foram prejudicadas pela comunicação ineficiente. A questão é que esse fator depende mais dos esforços individuais do que das ferramentas de comunicação.

Por quê? Bom, é normal existirem dificuldades de interpretação. Com os membros das equipes longe uns dos outros, qualquer mal entendimento pode levar a um conflito interno desnecessário. Como consequência, há prejuízos à produtividade da equipe.

Nesse caso, o trabalho híbrido contribui por prever que algumas ações e reuniões serão realizadas presencialmente no escritório. Tudo depende da demanda do time. Inclusive, é possível que parte da equipe esteja no mesmo ambiente e outros colaboradores participem a distância.

3. Gestão do tempo

Esse é um dos principais desafios do trabalho remoto. É fácil se distrair fora do escritório, especialmente se ficar em casa. Por isso, é necessário adotar estratégias para se concentrar.

Uma alternativa é usar softwares para cronometrar o tempo de cada atividade. Essa é uma forma de entender como suas horas são gastas e revisar seus hábitos. Com o tempo, será possível fazer uma análise aprofundada para definir uma rotina a ser seguida.

A gestão do tempo também é facilitada com o trabalho híbrido. Nesse caso, você tem horários flexíveis e pode gerenciar melhor suas atividades. Além disso, vale a pena construir um cronograma e segui-lo para que todos da equipe saibam em que momentos estará disponível.

4. Solidão

Trabalhar de forma remota pode ser bastante solitário e isso afeta a saúde mental. A pesquisa da USP já citada mostrou que a sobrecarga de trabalho está focada nas mulheres. Por isso, foi verificado que:

  • 40,5% sentem sintomas de depressão;
  • 34,9% têm ansiedade;
  • 37,3% sofrem estresse.

Esses resultados não são derivados apenas da solidão, mas esse é um dos fatores. Por isso, vale a pena poder trabalhar de qualquer lugar. Em um coworking, por exemplo, você vê pessoas, conversa com elas e interage.

Isso ajuda na criatividade e até na produtividade. No modelo de trabalho híbrido, a flexibilidade permite que cada profissional escolha o que prefere. Por exemplo, pode atuar presencialmente no escritório apenas alguns dias da semana para ter o máximo equilíbrio.

5. Baixa motivação e produtividade

A solidão e a sensação de isolamento impactam a motivação para trabalhar e, por consequência, a produtividade. No começo, pode ser interessante deixar de encontrar os colegas de trabalho. Com o tempo, a necessidade de interagir é maior.

Isso é o que o estudo da Microsoft mostra. A pesquisadora principal sênior, Dr. Nancy Baym, disse que “quando você perde as conexões, para de inovar. É mais difícil ter novas ideias e o pensamento em grupo é uma possibilidade séria”.

Outros fatores que impactam a motivação e a produtividade são a dificuldade em se desenvolver na carreira e obter promoções. Por isso, esse é um dos principais desafios do trabalho remoto. Afinal, todo mundo quer ter condições de ganhar mais e ter reconhecimento, certo?

Com o trabalho híbrido, essa situação pode ser resolvida. Em alguns dias, você estará no escritório para mostrar o que faz e quais são os resultados alcançados, além de obter feedbacks para melhorar.

Em outros, terá uma estrutura de coworking à sua disposição para fazer o que é necessário. Assim, precisará se vestir e ter uma rotina como se fosse ao escritório, com a diferença de ter uma concentração maior. Isso tende a melhorar sua atuação e levar ao aumento da valorização por parte dos gestores.

6. Sensação de FOMO

O Fear of Missing Out (FOMO) é uma sensação real que acomete quem trabalha a distância. Ele aparece em situações simples, como aquele happy hour para o qual você não recebeu convite ou a festa para os aniversariantes do mês que deixou de participar.

Em outras palavras, FOMO significa ter o sentimento de que não se faz parte daquele círculo de pessoas. Isso interfere na motivação, no engajamento com a empresa e até na produtividade.

Essa percepção diminui com o trabalho híbrido. Como você vai ao escritório em algumas situações e faz parte de um grupo ao participar de um coworking, por exemplo, deixa de considerar esses eventos tão importantes. Até mesmo porque há interação com outras pessoas.

7. Segurança da informação

O último dos principais desafios do trabalho remoto é a segurança da informação. Atuando a distância, você precisa cuidar ainda mais com possíveis invasões maliciosas ao seu computador. Caso contrário, a empresa pode ter grandes prejuízos.

Essas afirmações são confirmadas por números. O home office é um dos principais alvos dos hackers em 2021. O motivo é o acesso mais fácil a informações corporativas, que tendem a ser mais valiosas.

Isso também fez o total de ataques em 2020 ser significativo. Entre janeiro e setembro desse ano, foram registradas mais de 3,4 bilhões de invasões maliciosas. Por isso, é necessário ter atenção. Inclusive, a oferta de treinamentos presenciais faz bastante diferença.

Nesse caso, o trabalho híbrido contribui para verificação de segurança, promoção de treinamentos e fortalecimento das estratégias de segurança. Inclusive, com foco no que determina a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Ainda é preciso ter um cuidado grande com a shadow IT. Esse termo designa o uso de dispositivos e softwares sem conhecimento do setor de TI ou fora das boas práticas de segurança da informação. Isso pode levar a vários problemas, inclusive o vazamento de dados organizacionais.

Em resumo, ao atuar a distância, você terá que enfrentar alguns obstáculos. Além desses principais, existem outros. Mas todos podem ser ultrapassados com uma estrutura adequada e o modelo de trabalho híbrido.

Agora você já sabe quais são os principais desafios do trabalho remoto e já pode focar seus esforços para removê-los da sua rotina. Assim, é possível otimizar as horas em frente ao computador.

Quer saber mais e entender como fazer a gestão do tempo no trabalho remoto? Acesse este guia completo para otimizar sua produtividade e aproveite!

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.