Futuro do Trabalho

Neurodiversidade e biofilia: o futuro do espaço de trabalho no pós-covid

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em junho 7, 2021
5 min de leitura
Neurodiversidade e biofilia: o futuro do espaço de trabalho no pós-covid
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

A pandemia do novo coronavírus trouxe transformações no mundo todo e em diversos aspectos. No universo corporativo, isso não é diferente. Além das mudanças necessárias para a continuação das atividades durante o isolamento social, o futuro do espaço de trabalho no pós-covid coloca questões importantes na mesa.

Embora haja dados positivos sobre o trabalho remoto, como o aumento da produtividade, não há como negar que o escritório ainda continuará existindo. No entanto, não como conhecíamos até o início de 2020.

Atualmente, o ambiente corporativo deve ser mais que somente um lugar para realizar as funções. Ele tem o objetivo de incorporar os valores e a cultura da empresa, além de impulsionar e capacitar os colaboradores.  

É aí que entram os conceitos de neurodiversidade e de biofilia como parte da transformação. Pensando nisso, você sabe como será o futuro do espaço de trabalho no pós-covid? Neste post, falamos mais sobre o assunto. Continue a leitura e confira!

O que a neurodiversidade tem a ver com o espaço de trabalho?

Antes de mais nada, você sabe o que é neurodiversidade? É um termo utilizado para contemplar a variação natural do cérebro de cada indivíduo no que se refere à sua aprendizagem, socialização, humor e habilidades cognitivas.

No conceito, não há um padrão neurológico em que as pessoas que não se encaixam, como autistas e disléxicos, são consideradas anormais. Dessa maneira, ele inclui as diferenças neurológicas como algo natural do ser humano e tão complexa quanto os genes e as espécies, devendo ser reconhecidas e respeitadas

Trazendo o contexto para o futuro do espaço de trabalho, saiba que as novas gerações estão cada vez mais cientes de seus diagnósticos. Portanto, também estão mais dispostas a requisitar locais mais inclusivos para trabalhar. 

Considerando também que parte das pessoas que tiveram Covid apresenta algum tipo de sequela neurológica e que a ansiedade e a depressão aumentaram por conta da pandemia, é preciso reformular o local e a forma de trabalho para atender a todos.

Agile Spaces

O método Agile é conhecido por promover processos de trabalho mais participativos, dinâmicos e colaborativos. Nesse sentido, os Agile Space são os espaços de trabalho divididos em  ambientes que favorecem determinadas atividades, como em grupo, individual, de criação, de troca de experiências e outras.

Tomando-os como exemplo, podemos dizer que é possível criar uma experiência mais personalizada nos espaços de trabalho, que empodere os colaboradores conforme suas necessidades.

Ecossistema

Já imaginou o espaço de trabalho como um ecossistema? Essa forma de pensar favorece a percepção do valor de cada indivíduo. Assim, é possível melhorar esse ambiente a fim de otimizar o tempo e aumentar a produtividade.

Ter essa visão do local corporativo traz muitos benefícios, tanto para os colaboradores quanto para os clientes e empregadores. Isso porque esse sistema promove o bem-estar e a sensação de pertencimento, dá suporte à flexibilidade do negócio, ajuda a reter talentos e aumentar o valor da própria empresa.

Como a biofilia será importante para o futuro do local de trabalho pós-pandemia?

Ao pé da letra, biofilia quer dizer “amor à vida”. Na arquitetura e no design de interiores, é usada como o conceito que visa satisfazer o desejo do ser humano de estar em contato com a natureza.

Qualidade de vida e produtividade

Pesquisas apontam benefícios na saúde mental e física de estar em lugares projetados com paisagismo e área verde. Um estudo da Universidade de Exeter (Reino Unido) concluiu que funcionários que trabalham em um ambiente enriquecido com plantas são 15% mais motivados e produtivos do que os que atuam em um local sem qualquer tipo de vegetação.

Já um trabalho de Harvard’s Centre for Health and the Global Environment demonstrou que colaboradores que trabalham em ambientes verdes têm funções cognitivas mais elevadas, melhor qualidade de vida e menos sintomas de doenças.

Em contrapartida, a poluição atmosférica desfavorece o desempenho cognitivo e contribui para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e respiratórias, segundo estudo do Nature.

Coronavírus

Acontecimentos marcantes são agentes de mudanças importantes no espaço de trabalho. Os ataques de 11 de setembro ocorridos em Nova Iorque em 2011, por exemplo, foram decisivos para a criação de controles mais rígidos de segurança. 

Nesse sentido, outro ponto fundamental a ser analisado é a necessidade de voltar a atenção para a circulação e filtragem de ar nos ambientes internos das empresas por causa do coronavírus. 

Uma análise de dados feita por um instituto alemão, revelou que trabalhar em um escritório com filtragem de ar eficiente pode aumentar a expectativa de vida dos colaboradores.

Dessa maneira, investir em biofilia é necessário no futuro do espaço de trabalho pós-covid para promover maior bem-estar e qualidade de vida aos funcionários e, assim, o aumento da produtividade.

O que esperar do futuro do espaço de trabalho pós-covid?

A mudança mais significativa no futuro do espaço de trabalho no pós-covid é a consideração da experiência humana nesses ambientes. Pensar no escritório somente como um local para realizar as tarefas não será mais aceitável em uma empresa que almeja o sucesso.

É preciso ir além e vislumbrar o espaço de trabalho como algo que deve promover todos os meios possíveis para que os colaboradores desempenhem suas funções da melhor maneira possível. A seguir, confira algumas tendências do futuro do trabalho.

Tecnologia

A tecnologia sempre foi importante, mas daqui para a frente ela será crucial. Aliás, foi por meio dela que o mundo não precisou parar totalmente durante o isolamento social imposto pela pandemia. 

Em um modelo de trabalho híbrido, em que as pessoas têm maior liberdade para escolherem de onde trabalharão, o uso de dispositivos de mapeamento, videoconferências e até mesmo hologramas será rotineiro.

Bem-estar

O bem-estar do funcionário será levado ainda mais a sério. Hoje em dia, a ergonomia e a saúde no trabalho já são questões bem resolvidas na maioria das empresas ou, pelo menos, nas corporações que entendem que a qualidade de vida do colaborador é importante.

No futuro do espaço de trabalho no pós-covid, outras maneiras de promover o bem-estar deverão ser implementadas, como a aposta na biofilia e na neurodiversidade.

A criação de ambientes mais personalizados de acordo com as necessidades individuais, a melhora da qualidade do ar e inserção de elementos naturais são alguns exemplos.

Trabalho híbrido

Na contramão do que muitas pessoas achavam, o trabalho remoto permitiu um aumento na produtividade da maioria dos colaboradores. Diversos fatores estão envolvidos nesse resultado, como o ganho de tempo de que antes era gasto no deslocamento e a flexibilidade de horários.

No entanto, o lado ruim dessa modalidade também foi muito sentida. A falta de interação com os colegas, a pausa para o cafezinho e um rápido bate-papo são momentos que deixam saudades em quem trabalha em home office.

Por essa razão, o trabalho híbrido é a solução que muitas empresas já estão adotando e perpetuarão no cenário pós-pandêmico. O modelo reúne o melhor dos dois mundos: permite a flexibilidade e o convívio entre os colaboradores.

Isso porque, em vez de ser limitado a um só ambiente (home office ou sede da empresa), possibilita que o funcionário possa trabalhar de qualquer lugar, incluindo escritórios flexíveis — os coworkings.

Como você pode conferir, o futuro do espaço de trabalho no pós-covid passa por grandes e necessárias mudanças. Muitas questões que antes não eram prioridade se tornam imprescindíveis para uma empresa de sucesso.

Quer saber mais sobre o anywhere office? Aproveite que está por aqui e leia o nosso artigo que explica o que é e por que você deve adotar esse modelo de trabalho.

Texto de Renata Nogueira, produtora de conteúdo para a web e redatora.