Futuro do Trabalho

O que será do futuro do trabalho depois da Covid-19

Mariana Mendes
Escrito por Mariana Mendes em março 4, 2021
4 min de leitura
O que será do futuro do trabalho depois da Covid-19
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

O futuro do trabalho depois da Covid-19 ainda apresenta uma série de incertezas. Contudo, este ano de enfrentamento da pandemia foi também de muito aprendizado em todas as áreas. Por esse motivo, diversos estudiosos têm reunido dados e realizado análises aprofundadas na tentativa de elaborar previsões para o que está por vir.

Dentre estes levantamentos podemos destacar especificamente o relatório elaborado pela McKinsey & Company sobre o futuro do trabalho após a Covid-19. Estudo este que avaliou detalhadamente o impacto da pandemia nas demandas de trabalho, incluindo as mudanças nas atividades profissionais, automação e nas habilidades necessárias nas forças de trabalho.

A pesquisa foi realizada com base em oito países — França, Estados Unidos, China, Espanha, Alemanha, Reino Unido, Índia e Japão. Juntos, eles correspondem a quase metade da população mundial e 62% do PIB global e, sem dúvida, refletem a realidade de muitas outras nações.

Por esse motivo, neste artigo apresentaremos as principais questões e previsões para o futuro do trabalho do mundo pós-Covid-19 levantados pelos consultores e especialistas. Confira e se prepare para o tão falado “novo normal”.

O futuro do trabalho depois da Covid-19

A pandemia da Covid-19 acarretou diversos impactos na vida de todos e, principalmente, no mercado de trabalho e categorias profissionais. E, como em qualquer situação singular, em um primeiro momento estes impactos foram bastante desafiadores.

No relatório apresentado pela McKinsey & Company podemos perceber que desses desafios surgiram novas oportunidades e, principalmente, a necessidade de adaptação. A força de trabalho está em plena transformação para sobreviver, se manter em crescimento ou até mesmo buscar novos caminhos no futuro depois da Covid-19. Vejamos as principais mudanças.

O impacto do distanciamento social no futuro do trabalho

As categorias de trabalho que exigem uma maior proximidade física, sem dúvida, foram as mais afetadas no auge da pandemia da Covid-19, devido ao alto risco de contaminação.

Porém, excetuando-se as profissões obrigatoriamente presenciais, como assistência médica, cuidados pessoais e transporte, grande parte dos serviços que exigiam interação acabaram por migrar para o e-commerce e permanecerão assim.

As empresas tiveram muitos de seus escritórios fechados, alocando seus funcionários em home office, trabalho remoto ou anywhere office. Por um lado, esse cenário poderá reduzir as viagens a trabalho impactando as companhias aéreas, hotéis, restaurantes e todo setor do turismo. Por outro, a busca por espaços provisórios e adaptados de trabalho, como os coworkings preveem uma oportunidade de crescimento.

futuro do trabalho pós covid-19

A COVID-19 incentivando a automação e adoção da inteligência artificial no trabalho

A tendência de crescimento na automação de processos, adoção de inteligência artificial e investimento em tecnologia foi vista em diversos segmentos e faz parte da perspectiva de futuro do trabalho depois da Covid-19.

Antes mesmo da pandemia as indústrias e empresas vinham em processo de automação de processos e a COVID-19 veio para acelerar esse movimento. O estudo realizado pela McKinsey & Company avaliou que as categorias de trabalho que exigiam alto nível de proximidade humana foram os que tiveram maior aceleração na adoção de inteligência artificial e automação.

Podemos citar como exemplo os supermercados que de uma hora para outra precisaram atender a uma imensa demanda de pedidos online e os call centers que viram nos chatbots a saída para a redução de pessoal no local de trabalho.

Além disso, não podemos deixar de citar os profissionais que adotaram o trabalho remoto e foram obrigados a investir em tecnologia de qualidade a fim de manter seus negócios virtuais e a colaboração digital entre todos.

Mudar para se adaptar ao futuro

Tendo em vista todo o impacto causado pela pandemia da Covid-19 no mercado de trabalho é seguro dizer que muitas posições de trabalho serão reduzidas ou, até mesmo, extintas. E, como reflexo disso, muitos trabalhadores se sentirão obrigados a buscar novas colocações profissionais. Muitas vezes em cargos sem nenhuma relação com sua profissão anterior.

No levantamento realizado foi identificado que cerca de 25 por cento dos trabalhadores podem ser obrigados a mudar de profissão. Para isso, estes profissionais precisarão aprender novas habilidade tecnológicas, emocionais e sociais, a fim de adentrar em ocupações diversas das atuais e que ofereçam faixas salariais mais altas.

O problema é que diante do cenário econômico atual a dificuldade financeira da classe trabalhadora pode impedir o aperfeiçoamento profissional ou a conquista de um novo diploma. Por esse motivo, não cabe somente aos cidadãos esse esforço, mas é também responsabilidade da iniciativa pública e das empresas encontrarem novas formas de apoio aos trabalhadores.

A boa notícia é que muitas empresas já estão flexibilizando suas práticas de contratação, colocando um foco maior nas habilidades do candidato ao invés da obrigatoriedade de certo grau acadêmico. Dentre as empresas que estão removendo os requisitos de graduação de suas ofertas de emprego estão IBM, Google e Ernst & Young.

O modelo híbrido de trabalho remoto adotado por muitas empresas atualmente também é um fator que facilita o acesso a um maior número de talentos. Além da nova visão dos gestores em se concentrar em atividades e entrega de tarefas, aumentando a flexibilidade dos negócios e agilizando processos.

Afinal, o que o futuro do trabalho depois da Covid-19 nos reserva?

Os impactos causados pela pandemia nos segmentos de trabalho continuarão exercendo influência por muitos anos.  Os empregos que foram automatizados dificilmente voltarão a utilizar mão de obra e a maioria das posições que hoje são home office permanecerão remotas ou híbridas. Os profissionais enfrentarão profundas transições, sendo exigidos por novas habilidades a fim de ocuparem vagas que ainda estão sendo criadas. Empresas estarão cada vez mais automatizadas e tecnológicas.

Muita coisa já mudou e ainda está por vir no futuro do trabalho depois da Covid-19. Mas devemos ter em mente que o ser humano é totalmente adaptável e, com o apoio e suporte necessários, todos são capazes de se transformar, se adequar e encontrar seu lugar nessa nova realidade.

Comece agora com uma das habilidades mais procuradas pelas empresas atualmente: a capacidade de ser produtivo trabalhando remotamente. Confira neste artigo dicas para se organizar e ter os melhores resultados com o trabalho remoto!

Texto escrito por Samantha Panzini, formada em Turismo e pós-graduada em Administração. Apaixonada por Marketing Digital, atua como freelancer na área de Produção Conteúdo.