Home Office

Futuro do home office: o que Mark Zuckerberg está dizendo sobre o tema?

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em fevereiro 18, 2021
Futuro do home office: o que Mark Zuckerberg está dizendo sobre o tema?
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

O futuro do home office é a aplicação de um modelo híbrido, com adoção de tecnologias como realidade virtual e aumentada.

Por conta da pandemia, muitas pessoas começaram a trabalhar de casa. Isso levou a questionamentos sobre o futuro do home office.

Até mesmo Mark Zuckerberg entrou em um debate desses. O fundador do Facebook falou sobre o tema no Clubhouse (a rede social do momento) e o assunto viralizou.

Dentro desse contexto, vale lembrar que o IBGE destacou que 90% da população ocupada trabalhava de casa em novembro de 2020. Por isso, o órgão diz que essa é uma tendência para 2021.

Será mesmo? Neste post, vamos mostrar o que Mark Zuckerberg falou, apresentar as diferenças do home office para o trabalho remoto e como será o futuro das profissões na modalidade a distância.

Afinal, o que Mark Zuckerberg falou sobre o futuro do home office?

Basicamente, o fundador do Facebook apostou na tecnologia. No Clubhouse, ele disse que as barreiras do trabalho serão superadas. Com isso, a tendência é ingressar no nível da realidade virtual e aumentada.

Segundo Zuckerberg, devemos nos teleportar, e não transportar!, em tradução livre. Essa frase resume bem o que ele pensa, já que a pandemia mostrou que é desnecessário exigir que os colaboradores estejam em um determinado local.

Nesse cenário, a ideia do anywhere office passa a ser fortalecida. Com a união da realidade virtual e da aumentada, qualquer pessoa pode estar “presente” em qualquer lugar, sem prejudicar a interação e a capacidade de fechar negócios.

Outro detalhe percebido por Zuckerberg é de que o futuro do home office tende a aumentar a produtividade e reduzir as emissões ambientais. Na conversa, ele ainda foi questionado sobre o que o Facebook está fazendo para se adaptar à nova realidade.

O empreendedor contou que os profissionais do Facebook Reality Labs trabalham para integrar as tecnologias de realidade virtual e aumentada ao teletrabalho. O objetivo é assegurar a presença das pessoas sem haver o deslocamento físico.

Assim, fica claro que o fundador do Facebook investe nessa ideia e trabalha nela. Com isso, novidades podem aparecer nos próximos meses e anos. Graças à pandemia, o futuro do home office pode ser melhor do que o esperado — e deixar muita gente mais satisfeita com o ambiente corporativo.

Futuro do home office

Quais as diferenças de home office e trabalho remoto?

Apesar de Mark Zuckerberg ter falado sobre o home office, existe uma diferença desse conceito para o trabalho remoto. Ambas são modalidades de atuação a distância, mas uma está inserida na outra. Para ficar mais claro, veja as diferenças dos dois termos.

Home office

Esse é o verdadeiro trabalho em casa. O profissional encontra um local específico e o adapta, mas também pode fazer as atividades a partir de qualquer lugar da residência.

Existem várias vantagens nessa modalidade, como a possibilidade de trabalhar a hora que quiser e poder equilibrar a vida pessoal e profissional. No entanto, também há vários aspectos negativos.

Muitas vezes, o home office não tem estrutura adequada. Por isso, falta ergonomia, por exemplo. Além disso, pode se tornar cansativo ficar no mesmo local. Esse é um dos motivos pelos quais várias pessoas tiveram dificuldades em manter a saúde mental em 2020.

Trabalho remoto

Remonta a um conceito mais amplo, que abrange o home office e outras modalidades, como a realização de atividades em coworkings, cafés, bibliotecas e até na sede da empresa. Em outras palavras, representa qualquer atuação a distância.

Dentro do trabalho remoto, existe a ideia do anywhere office. Assim, você pode transformar qualquer lugar no seu escritório. Tudo depende da sua preferência, rotina diária, reuniões a realizar etc. Entre os benefícios a serem percebidos estão:

  • Flexibilidade;
  • Praticidade;
  • Redução dos deslocamentos;
  • Possibilidade de viajar a qualquer momento;
  • Capacidade de ter toda a infraestrutura necessária à sua disposição.

Por exemplo, em um coworking, você já conta com internet, sala de reuniões e o que mais precisar. Assim, pode até atender clientes presencialmente, se necessário.

Por isso e outros fatores, vale a pena entender a diferença entre home office e trabalho remoto. Ainda que sejam pequenas, elas são fundamentais e demonstram que o discurso de Zuckerberg tende a ter mais aplicabilidade nesse conceito mais amplo.

Futuro do home office

Como será o futuro do trabalho remoto?

Em uma palavra, o futuro do trabalho remoto é flexível. Além de Mark Zuckerberg ter apontado isso, outros estudos chegaram à mesma conclusão. Um deles foi da McKinsey

Segundo o levantamento, “modelos híbridos de trabalho remoto têm a tendência de persistir no decorrer da pandemia, principalmente para a força de trabalho minoritária com salário elevado e alto nível educacional”.

Como o próprio Zuckerberg apontou, as barreiras tecnológicas e culturais do ambiente corporativo foram eliminadas. Com isso, a presença física deixa de ser necessária e pode ser substituída pela realidade virtual e aumentada.

O estudo da McKinsey ainda trouxe alguns apontamentos relevantes. A seguir, mostraremos quais são eles e os explicaremos. Acompanhe.

O potencial do trabalho remoto é determinado por tarefas e atividades 

A consultoria apontou que mais de 20% da força de trabalho poderia trabalhar remotamente de 3 a 5 dias de maneira tão efetiva quanto se ficasse todo o tempo no escritório. Isso é possível porque o mais relevante não são as ocupações, mas sim as tarefas e as atividades.

Para se ter uma ideia, muitas operações físicas ou manuais e que exigem o uso de equipamentos fixos não podem ser executadas remotamente. É o caso do uso de equipamentos de laboratório, processamento de transações em lojas e mais.

Por outro lado, coleta de dados, comunicação, aconselhamento e ensino podem ser realizadas a distância. Como fica claro, o potencial do futuro do home office e do trabalho remoto depende das atividades executadas.

O potencial do trabalho remoto é mais alto em economias avançadas

Cada país tem uma realidade e isso interfere na sua capacidade de realizar atividades remotamente. Quanto mais avançada for a economia, mais tecnologia é utilizada. Com isso, o trabalho a distância se torna mais viável.

Tanto é que os países com economia avançada podem dedicar de 28% a 30% do tempo de suas forças de trabalho sem haver perda de produtividade. Esse contexto é diferente em nações emergentes.

Nesse caso, é preciso realizar mais atividades físicas e manuais, como na manufatura e na agricultura. Nesse caso, o tempo a ser dedicado sem perda de produtividade cai para um intervalo entre 12% e 26%.

Futuro do home office

Um modelo híbrido que combina trabalho remoto com o trabalho no escritório é possível para ocupações com alto potencial de trabalho remoto

O mais comum é que os profissionais tenham tarefas que podem ser realizadas remotamente, enquanto outras requerem presença física. Esse aspecto é bastante verificado nos Estados Unidos.

Por lá, somente 22% dos colaboradores trabalham a distância entre 3 e 5 dias por semana sem perdas na produtividade. Ao mesmo tempo, 61% precisam ficar longe do escritório apenas algumas horas por semana e 17% podem trabalhar fora do ambiente corporativo entre 1 e 3 dias por semana.

Por que esses dados se referem ao futuro do home office? Primeiro, porque eles mostram a necessidade de usar equipamento especializado para trabalhar de modo remoto. Em segundo lugar, porque o contexto de realização da atividade é relevante.

Ao focar no modelo híbrido, há mais chances de sucesso. Por isso, os executivos consultados pela McKinsey esperam que 38% dos seus colaboradores remotos trabalhem 2 ou mais dias por semana fora do escritório. Ainda há 19% que esperam que os profissionais fiquem 3 dias ou mais afastados do ambiente corporativo.

As organizações terão que ajustar suas práticas para capturar ganhos potenciais de produtividade a partir do trabalho remoto

A discussão sobre a manutenção ou o aumento da produtividade ainda não terminou, mas o futuro do home office e do trabalho remoto em geral apontam boas perspectivas.

Dos colaboradores entrevistados, 41% alegaram ser mais produtivos atuando a distância do que se estivessem no escritório. Esse dado é relativo a maio de 2020. De lá para cá, o percentual aumentou devido ao aperfeiçoamento da realização das atividades fora do escritório.

Apesar disso, um empecilho é a conectividade. Do total de entrevistados, 65% disseram ter velocidade suficiente no serviço de internet. O restante precisa lidar com esse entrave.

Todas essas informações mostram que o futuro do home office tem mais a ver com o trabalho híbrido. Desse modo, é possível alcançar produtividade, flexibilidade e bons resultados. Então, que tal esperar a mudança prevista por Mark Zuckerberg?

Aproveite e coloque o modelo de trabalho remoto em prática! Experimente o OfficePass do BeerOrCoffee por 10 dias grátis e trabalhe de qualquer lugar que desejar para sentir essa experiência.

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web.