Uncategorized

IGP-M, IPCA e PIB: por que entender essas siglas em 2021

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em fevereiro 3, 2021
5 min de leitura
IGP-M, IPCA e PIB: por que entender essas siglas em 2021
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Nem sempre é fácil entender os significados de IGP-M, IPCA e PIB. Explicamos tudo de forma prática no texto!

Se tem uma coisa que praticamente todas as empresas têm em comum é o desejo de reduzir custos. Para conquistar isso, é preciso entender o básico sobre economia, como as siglas PIGP-M, IPCA e PIB.

Compreender sobre esse tema é importante em 2021, principalmente, por estarmos atravessando um momento de crise financeira. A pandemia da Covid-19 ainda traz muitos reflexos no cenário econômico e a melhora, de acordo com os especialistas, deve ser lenta.

O portal Infomoney ouviu especialistas em economia e a maioria deles diz que o Brasil deve se recuperar, aos poucos, da crise. Porém, isso não acontecerá rapidamente e há uma série de fatores que podem impulsionar esse fenômeno, como a demora para vacinar toda a população contra o novo coronavírus e o fim do programa de distribuição de renda emergencial do governo.

Entenda agora o que é IGP-M, IPCA e PIB

Os índices IGP-M, IPCA e PIB são alguns dos indicadores que norteiam a economia. Para as empresas, é importante conhecê-los para que as ações possam ser programadas, de acordo com o cenário econômico do país.

Dessa forma, se evitam investimentos que não trarão retorno em determinado período, por exemplo. A seguir, apresentaremos os conceitos dessas três siglas, para que você entenda melhor sobre o que cada uma delas representa. Confira!

O que é IGP-M – Índice Geral de Preços-Mercado

O IGP-M é a sigla para Índice Geral de Preços-Mercado. Esse também é um indicador de inflação, mas não considera apenas o preço final praticado para o cliente, mas sim a oscilação de valores em todos os estágios de produção.

Para quem tem empresas com salas alugadas, por exemplo, ficar atento ao IGP-M também é importante, tendo em vista que ele também serve para reajustar os contratos de aluguéis dos imóveis. 

Vamos supor que você paga R$ 1000,00 de aluguel para o proprietário da sala onde fica o escritório da sua empresa. Caso o IGP-M aumente 10% no período em que é feito o ajuste do seu contrato, o valor passará a ser de R$ 1100,00. 

Atentar para o IGP-M, em 2021, portanto, é importante no caso de você ter salas alugadas. Isso porque, nos últimos meses, o aumento tem sido muito, chegando a quase 25%, para você ter  uma ideia. Mesmo com a popularização do anywhere office (trabalho em qualquer lugar), muitas companhias ainda precisam de uma sede física, logo, vale a pena ficar de olho no indicador.

O valor fica tão fora da realidade da maioria das pessoas e empresas que pagam aluguel, que muitas imobiliárias passaram a usar o IPCA como índice para calcular o valor dos imóveis locados. Por isso, fique atento a isso quando for fazer negociações.

Outra alternativa, para economizar, é optar pelos coworkings, que são escritórios compartilhados, em que todas as despesas são divididas pelos ocupantes. Assim, a sua empresa não precisa gastar tanto com o aluguel.

O que significa IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo

O IPCA, por sua vez, significa Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Ele é o indicador que mede a inflação no nosso país, mensurando a variação entre os preços dos produtos e serviços.

Assim, quando se ouve falar que o IPCA está subindo, significa que os preços dos produtos e serviços oferecidos pelas empresas brasileiras está aumentando.

O IPCA também se movimenta por conta de uma série de fatores externos. Imagine, por exemplo, uma fazenda com plantação de maçãs. Se acontecer um inverno rigoroso e a geada matar boa parte do plantio, menos unidades da fruta serão vendidas.

Dessa forma, haverá muita gente querendo comprar maçãs e poucas unidades disponíveis para serem vendidas. Para ter lucro, o dono da fazenda aumenta o preço.

Agora, se a colheita foi um sucesso, mas o dólar está muito alto, vale mais a pena para o produtor de maçã vender as suas frutas para outros países e não para consumidores brasileiros. 

Novamente, sobrarão poucas unidades do produto para a nossa população e o preço tende a subir. Foi isso que aconteceu, em 2020, com o preço do arroz, cujo saco de 5 kg chegou a custar R$ 40,00 em alguns supermercados.

O resultado de variações como essa faz com que ocorra inflação ou deflação no preço dos produtos, fazendo com que o IPCA suba ou caia. Assim como o PIB, existe uma série de fatores que interferem nessa movimentação.

IGP-M e IPCA

O que é PIB – Produto Interno Bruto

PIB significa Produto Interno Bruto. O valor representa a soma do preço de todos os produtos e serviços que foram produzidos ou realizados em um país. 

Dessa forma, quando você ouve falar que o PIB cresceu, significa que a soma dos produtos e serviços cresceu. Quando o PIB cai, significa que o valor diminuiu, em relação ao período anterior. Por esse motivo, ele é sempre calculado em porcentagem.

Em 2020, por exemplo, o PIB do Brasil cresceu 7,7% no terceiro trimestre. Apesar do número nos colocar no mesmo patamar de 2017, se observa uma melhora em relação aos meses anteriores, que foram os mais graves da pandemia. 

Durante a pior fase da pandemia, o PIB caiu, tendo em vista que muitos negócios tiveram que fechar as suas portas durante o período de quarentena. Logo, eles venderam menos e a soma de valores de produtos e serviços comercializados diminuiu bastante.

Essa situação é um exemplo sobre como o PIB pode ser modificado por conta de diversos fatores. Percebe-se que os economistas até podem fazer previsões e simular cenários, mas nunca se tem 100% de certeza. A pandemia, por exemplo, é algo que ninguém poderia prever e modificou totalmente a economia global em uma questão de dias.

Conclusão

Gostou de entender sobre IGP-M, IPCA e PIB? Agora, você pode considerá-los no planejamento financeiro da sua empresa. Assim, poderá economizar custos, como o de escritório, que depois da folha de pagamento é o maior gasto das companhias.

Trocar o escritório fixo por um coworking, por exemplo, é uma boa ideia para fazer essa economia. Acesse a nossa página e teste, com a sua equipe, 10 dias em +1.000 coworking.

Texto de Lucas Flores – Relações Públicas e mestre em Letras, Cultura e Regionalidade. Desde 2013, trabalha com produção de conteúdo para web e há cerca de um ano trocou o interior do Rio Grande do Sul por Porto Alegre.