Coworking

Saiba por que o trabalho pode mudar para melhor em 2021

Renato Ribeiro
Escrito por Renato Ribeiro em janeiro 28, 2021
5 min de leitura
Saiba por que o trabalho pode mudar para melhor em 2021
Junte-se a mais de 30 mil pessoas!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre o futuro do trabalho!

Tudo indica que o trabalho pode mudar para melhor em 2021. Mais produtividade e bem-estar, redução dos deslocamentos, equilíbrio entre trabalho e vida, e equidade, diversidade e inclusão são exemplos. Confira!

Você acha que o trabalho pode mudar para melhor em 2021? Após um esperado fim do período de pandemia, é preciso saber quais são as perspectivas para o restante do ano. E acredite: elas são bastante positivas e interessantes para as empresas.

Para começar, podemos destacar o trabalho flexível, que deve se consolidar. A ideia do anywhere office trará mais possibilidades para os colaboradores, já que podem escolher entre ficar no escritório ou trabalhar em qualquer outro lugar.

O relatório Workplace Trends 2021, da Glassdoor, por exemplo, mostra que a relação entre os profissionais e o trabalho pode mudar para melhor em 2021. Além disso, esse contexto nunca mais deve ser o mesmo — mas essa é uma boa notícia.

Por quê? Neste texto, apresentamos os 5 caminhos que comprovam a melhoria do ambiente corporativo em 2021. Confira!

1. Aumento da produtividade

O primeiro ponto que mostra que o trabalho pode mudar para melhor em 2021 é relativo à produtividade. Afinal, sempre houve debates sobre a capacidade de manter os funcionários em casa e como isso afetaria a empresa.

Em 2020, esse teste foi realizado devido à pandemia. O resultado foi melhor do que o esperado. Segundo uma pesquisa da Mercer, mais de 90% mantiveram a produtividade igual ou acima daquela registrada quando estavam no escritório.

No Brasil, o mesmo movimento foi registrado. No começo da pandemia, no primeiro trimestre de 2020, a produtividade por hora efetivamente trabalhada cresceu 3%. No segundo trimestre, 23,9%. Já no terceiro chegou a uma alta de 15,3%.

Por que esses resultados foram alcançados? Primeiro, porque quem mantém o trabalho híbrido tem mais chance de executar atividades de lazer, como exercícios físicos e manutenção de uma alimentação saudável.

Em segundo lugar, porque se perde menos tempo com deslocamentos e outros problemas comuns de quem precisa ir para o escritório todo dia. Assim, o anywhere office contribui para a qualidade de vida e o bem-estar geral do colaborador. Como consequência, ele produz mais e com mais qualidade.

Para dar exemplo de uma solução relacionada ao universo híbrido, confira o OfficePass no vídeo abaixo, um programa de assinatura que permite que as empresas tenham acesso a +1.000 escritórios e só pagam quando utilizar.

2. Compreensão do bem-estar

A saúde mental vem sendo muito falada desde o começo da pandemia do novo coronavírus. Muitos alegam que ficar só em casa traz prejuízos à qualidade de vida. De fato, o ser humano precisa de interação.

Ainda assim, é possível combinar o trabalho remoto com esses fatores. Um exemplo são os escritórios flexíveis. Eles são caracterizados pelo compartilhamento de espaços, o que gera a redução de custos e a dinamicidade dos processos.

O conceito é amplamente usado em outros países. Além disso, o relatório Your Space, da Knight Frank, indica que:

  • 69% das companhias globais querem aumentar o uso de espaços compartilhados;
  • 80% pretendem crescer o uso de ambientes colaborativos nos próximos anos;
  • 16% acreditam que o escritório flexível ocuparia metade da área de trabalho;
  • 55% veem a flexibilidade como fator de mudança. Ainda há 11% que falam da importância da dinâmica colaborativa;
  • 75% creem que a produtividade pessoal melhora nesse modelo por estar mais relacionada ao bem-estar e à felicidade.

Um dos modelos claros dos escritórios flexíveis é o do BeerOrCoffee. Com unidades espalhadas por todo o Brasil, os colaboradores podem fazer reuniões, conversar com clientes e manter um espaço fixo com boa localização, prazo e orçamento.

Assim, você cumpre as demandas e garante a interação entre os profissionais. Isso também tende a diminuir os sintomas de ansiedade e depressão, que afetaram 47,3% dos trabalhadores de serviços essenciais e 27,4% de todos os entrevistados em uma pesquisa da Fiocruz.

3. Redução dos deslocamentos

Em 2019, uma pesquisa realizada no Brasil mostrou que o brasileiro passa 32 dias do ano no trânsito. Traduzido, esse tempo representa 768 horas. Além disso, 76% das pessoas não fazem planejamento em relação aos gastos com transporte.

Esses dados podem preocupar. O custo com congestionamento no país chega a R$ 267 bilhões por ano. Além disso, 40% dizem ser muito difícil se locomover. 

Isso interfere primeiramente na produtividade. Depois, na saúde e na moral. No período de pandemia, por exemplo, houve uma diminuição significativa dos poluentes no ar. Isso já traz uma melhoria para a qualidade de vida.

Com o home office e o trabalho remoto, ainda há aumento do engajamento e os colaboradores se sentem valorizados.

Tanto é que a Glassdoor fez uma pesquisa que demonstrou que 70% dos trabalhadores preferem o modelo de trabalho híbrido no pós-COVID-19. Em outras palavras, a redução dos deslocamentos promovida pelo anywhere office e pelos escritórios flexíveis geram qualidade na atuação realizada.

trabalho pode mudar para melhor em 2021

4. Equilíbrio entre trabalho e vida

Apesar de milhares de trabalhadores já optarem pelo home office, muita gente ainda foi pega de surpresa com o isolamento social em 2020. Ter que se acostumar à nova rotina e lidar com as distrações no ambiente familiar foi um verdadeiro desafio.

No entanto, o equilíbrio entre trabalho e vida agradou muita gente. Nos EUA, por exemplo, foram economizadas cerca de 62,4 milhões de horas de trabalho/dia. O período foi utilizado para ficar com os filhos e fazer serviços de casa e exercícios físicos.

Com essa nova experiência, quem sempre tinha trabalhado em escritórios tradicionais repensou sua posição. Reforçando o levantamento da Glassdoor já citado, 70% querem ingressar em um modelo de trabalho híbrido.

Essa é a oportunidade de gastar menos tempo no trânsito e, ao mesmo tempo, garantir a qualidade de vida. Basicamente, é o melhor de dois mundos, já que a flexibilidade é o que manda com essa estratégia.

5. Crescimento da diversidade, da equidade e da inclusão

O último ponto que mostra que o trabalho pode mudar para melhor em 2021 se refere a esses três aspectos: diversidade, equidade e inclusão. Esse cenário é derivado da nova demanda das mulheres.

Antes, elas estavam acostumadas a ficar no escritório. A partir de 2020, começaram a ver seus filhos crescerem. Com isso, a McKinsey acredita que cerca de 2 milhões de mulheres deixarão o mercado de trabalho devido às mudanças da pandemia.

Diante desse cenário, a Glassdoor acredita que haverá mais conscientização das empresas. As ofertas focadas na diversidade, equidade e inclusão estão aumentando e devem crescer ainda mais, mudando o mercado de trabalho para melhor em 2021.

O movimento Black Lives Matter também contribui para esse contexto. Da mesma forma, os coworkings levam a esse resultado. Nesse ambiente, diversos profissionais se encontram e trocam experiências. Por isso, torna-se mais fácil surgirem ideias interessantes, que poderão se tornar uma vantagem competitiva para o negócio.

Todos esses caminhos que mostram que o trabalho pode mudar para melhor em 2021 são aplicáveis na sua empresa. Com o trabalho flexível e as possibilidades fornecidas pelo coworking, a dinâmica implementada pode ser a melhor para o sucesso da sua empresa e da vida pessoal e profissional dos colaboradores.

Quer saber como o ambiente com flexibilidade pode ajudar as empresas de crescimento rápido? Entenda a relação e veja por que o espaço de trabalho é essencial.

Texto escrito por Fabíola Thibes, jornalista e redatora web