Os 5 maiores mitos do home office e do trabalho remoto

Esclarecer os principais mitos do home office e do trabalho remoto é importante para que você possa aprofundar os conhecimentos nessa modalidade e compreender sobre como  ela pode ser uma excelente alternativa para a sua empresa.

Com o crescimento do trabalho remoto, os mitos do home office também se expandiram. Dessa forma, é sempre interessante ficar atento a isso para evitar acreditar em inverdades.

Antes de tudo, é importante que você entenda que home office e trabalho remoto não são sinônimos — o home office é uma das possibilidades do vasto leque contido dentro do trabalho remoto. Com o avanço das tecnologias, hoje em dia é possível que as pessoas trabalhem em qualquer local em que haja acesso à internet.

Dessa forma, as atividades profissionais podem, além de ser realizadas em casa, o que caracteriza o home office, ser executadas em espaços de coworkings, bibliotecas, cafeterias, hotéis, entre outros.

Veja quais são 5 os maiores mitos do home office e do trabalho remoto

Agora que você já conhece as diferenças entre trabalho remoto e home office, vamos desmistificar algumas ideias que as pessoas têm sobre o formato de trabalho flexível. Acompanhe!

1. Quem trabalha remotamente é menos produtivo

Algumas pessoas fazem uma ideia errada sobre a produtividade no trabalho remoto — seja no home office ou em espaços de coworking, por exemplo. Elas pensam que, pelo fato de estarem longe do chefe, os colaboradores postergarão ou procrastinarão as atividades.

No entanto, isso não é verdade! De acordo com uma pesquisa publicada pela Harvard Business Review, há um aumento de 13,5% na produtividade dos trabalhadores remotos.

A explicação para isso pode estar na melhoria da qualidade de vida, tendo em vista que não é preciso acordar tão cedo e encarar várias horas no trânsito, por exemplo. Com uma rotina menos estressante, as pessoas se tornam mais produtivas.

mitos do home office
De acordo com uma pesquisa publicada pela Harvard Business Review, há um aumento de 13,5% na produtividade dos trabalhadores remotos.

2. Os dados das empresas não têm segurança com o trabalho remoto

Outro dos mitos do home office e do trabalho remoto diz respeito à segurança das informações. É natural que as empresas se preocupem com isso, tendo em vista que já está em vigor no Brasil a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Porém, com softwares de gestão criptografados, o uso de bons antivírus e outros itens de segurança cibernética, não há com o que se preocupar. Basta que as empresas orientem os colaboradores para que eles usem essas ferramentas e sigam à risca os protocolos.

3. A comunicação é pouco eficiente no trabalho remoto

Essa informação também é falsa! A comunicação não deixa de ser eficiente quando os funcionários trabalham remotamente. Pelo contrário, ela tende a ser ainda mais eficiente, uma vez que as conversas e interações, geralmente, ficam registradas.

Existem excelentes aplicativos e plataformas que podem ser utilizados para melhorar a comunicação remota nas empresas. Com o Trello, por exemplo, é possível utilizar a metodologia kanban para organizar as tarefas e, assim, o gestor pode ter um monitoramento de tudo o que é realizado na companhia.

Já o Zoom é ideal para reuniões por videoconferência, para conversar com clientes ou resolver pendências internas da organização. O Slack, por sua vez, é uma plataforma de chat, que possibilita o envio de mensagens em grupos, como os setores da companhia, ou diretamente para uma pessoa em específico.

Esses são apenas alguns exemplos de ferramentas de comunicação, que mostram como a ideia de pouca eficiência nessa área é mais um dos mitos do home office.

4. Os trabalhadores remotos são pessoas solitárias

Cria-se também a ideia de que as pessoas que trabalham remotamente são solitárias, já que não precisam compartilhar o mesmo ambiente que os seus colegas de trabalho. Essa é mais uma informação falsa sobre o trabalho remoto.

O home office, como explicamos, é apenas uma modalidade do trabalho remoto. Dessa forma, o trabalhador pode escolher alguns dias da semana para ficar em casa e fazer as suas atividades em ambiente doméstico.

Porém, nem sempre precisa ser assim! Atualmente existem plataformas de coworking, que as empresas podem contratar e assinar um plano, que dá acesso a diárias em escritórios compartilhados nas principais cidades do país.

Com isso, os funcionários podem escolher, por meio de um aplicativo, onde eles querem trabalhar em cada dia da semana. Esses espaços são eficientes porque, além de toda a infraestrutura necessária para que os trabalhos sejam exercidos, também se tem a convivência com outras pessoas.

Inclusive, ao frequentar coworkings, os trabalhadores remotos podem otimizar o networking, tendo em vista que conhecerão pessoas de diversas áreas, que podem ajudar a impulsionar as suas carreiras ou firmar parcerias interessantes.

mitos do home office
Ao frequentar coworkings, os trabalhadores remotos podem otimizar o networking

5. O colaborador remoto não tem hora certa para trabalhar

Algumas pessoas também pensam que o trabalhador que executa as suas funções remotamente não tem hora certa para trabalhar. Essa, no entanto, é uma questão muito particular de cada empresa e deve ser acertada entre o colaborador e o setor de recursos humanos, antes da contratação.

Cada vez mais as empresas estão cobrando os funcionários por tarefas entregues no prazo e não mais por horas trabalhadas. No entanto, isso não significa que não possa ser estabelecido um horário fixo para que as atividades sejam realizadas.

Inclusive, isso é necessário, quando é preciso atender os clientes em horário comercial, por exemplo. O ideal é que se defina, portanto, uma rotina que seja interessante, ao mesmo tempo, para colaboradores e empresas. Além disso, é importante verificar com o setor de contabilidade e jurídico se a metodologia escolhida se enquadra na legislação vigente.

Esses são os principais mitos do home office e do trabalho remoto, que fizemos questão de desvendar para você. Trabalhar remotamente tende a ser o melhor modelo para as organizações, em um futuro próximo, já que cada vez mais cresce a cultura do anywhere office.

Essa cultura significa o trabalho realizado de qualquer lugar. Os colaboradores podem, por exemplo, exercer as suas funções em casa, em coworkings e até mesmo na sede da empresa, de acordo com a demanda de cada dia. Clique aqui e saiba mais sobre o assunto!


Texto de Lucas Flores – Relações Públicas e mestre em Letras, Cultura e Regionalidade. Desde 2013, trabalha com produção de conteúdo para web.

Facebook Comments
Os 5 maiores mitos do home office e do trabalho remoto

Infográfico: estatísticas do home office e do trabalho remoto em meio à Covid-19

Os 5 maiores mitos do home office e do trabalho remoto

Trabalho remoto: como organizar um happy hour a distância?

Newer post