Home office deixa brasileiros mais ansiosos e estressados, aponta pesquisa do LinkedIn

Uma pesquisa do LinkedIn, que consultou 2 mil profissionais que estão trabalhando no home office na segunda quinzena do mês de abril, aponta que 62% estão mais estressados e ansiosos com o trabalho em relação a antes da pandemia do novo coronavírus. 

Para os entrevistados, deixar de interagir com os colegas de trabalho também tem sido uma questão desafiadora: 39% dos profissionais sentem solidão, 30% destacam que estão estressados pela falta de descontração no dia a dia e 20% afirmam que estão inseguros pela dificuldade de saber  o que está acontecendo na empresa e com seus colegas.

Por outro lado, 33% dos respondentes dizem que se sentem mais produtivos em suas atividades do dia a dia por conta da diminuição das interrupções que acontecem nos espaços de trabalho.  

De acordo com a pesquisa, além da saúde mental, outras questões também tem sido bem impactantes. Entre os entrevistados, 33% afirmam que estão tendo dificuldades com o sono e 43% destacam que estão fazendo menos atividades físicas. 

Em uma entrevista ao InfoMoney, Milton Beck, diretor-geral do LinkedIn para a América Latina, diz que “estamos diante de um cenário que gera medo e ansiedade, em função da incerteza. (…) Esses aspectos externos e internos podem fazer com que o profissional se sinta mais ansioso, preocupado em dar conta de todas as tarefas do dia”, diz.

Além disso, o executivo aponta que o trabalho distribuído deve ser a bola da vez. “As pessoas defensoras do home office estão querendo voltar ao escritório e os adeptos do escritório estão enxergando os benefícios do home office. Por isso, acredito em um meio termo, em que trabalharemos alguns dias no escritório e outros em casa”, afirma. 

home office

Mais horas trabalhadas e Síndrome de Burnout

O trabalho no home office, ainda segundo a pesquisa no LinkedIn, também significa que as pessoas estão trabalhando mais. O estudo identificou que 68% dos entrevistados estão trabalhando ao menos 1 hora a mais por dia — alguns profissionais chegam até 4 horas a mais no dia de trabalho.  

Além das horas de serviço extras, executar as atividades de trabalho em casa também estabelece mais um grande desafio: desligar-se da rotina profissional. Em relação a isso, a pesquisa destaca os seguintes pontos:

  • 24% dos profissionais se sentem obrigados a responder de forma mais rápida e estar online por mais tempo do que geralmente estariam;
  • 18% afirmam que estão preocupados em se mostrar ocupado, pois isso tem uma relação direta com o medo de ficar desempregado;
  • 27% enviam e-mails fora do horário do trabalho para mostrar que, ainda que estão em casa, estão produzindo mais do que no escritório.

Vale lembrar que comportamentos como esses destacados acima podem levar os profissionais a desenvolverem a Síndrome de Burnout (que também é conhecida como Síndrome do Esgotamento e é caracterizada por um distúrbio emocional com sintomas de extremos estresse e exaustão).  

Principais desafios do home office

Trabalhar em casa certamente traz muitas vantagens, como não ter que enfrentar horas em um trânsito caótico, que é uma realidade nas grandes cidades. Por outro lado, o home office também tem muitos desafios. 

Entre eles, destacamos as preocupações com a entrega das atividades, a necessidade de conciliar com a vida pessoal, além da preocupação com a COVID-19. A pesquisa do LinkedIn aponta que:

  • 34% se distrai assistindo ou ouvindo notícias do coronavírus;
  • 24% têm muita dificuldade para conciliar as atividades do trabalho e os cuidados com a família, especialmente com os filhos;
  • 22% acreditam que é muito desafiador trabalhar com a esposa ou com o marido em casa.

Naturalmente, nem tudo da pesquisa é de questões negativas. Entre os aspectos positivos do estudo, o home office trouxe:

  • 59% contam que, com o isolamento, passaram a ter mais tempo de qualidade com a família;
  • 32% passaram a adotar uma alimentação mais saudável.

Volta ao escritório

A pesquisa ainda mostra como está a expectativa em relação à volta ao escritório. Os pesquisados acreditam que haverão diversas mudanças comportamentais, em questões como as particularidades emocionais, as relações pessoais e o uso da tecnologia. Sendo assim:

  • 52% afirmam que as relações com os colegas será mais próximo;
  • 41% indicam que farão mais uso dos recursos de tecnologia;
  • 28% apostam que a ansiedade diminuirá, acima de tudo, por conta da interação com as pessoa na volta aos espaços de trabalho.

Futuro do trabalho e do escritório

Para a CEO e co-fundadora do BeerOrCoffee, Roberta Vasconcellos, o futuro do trabalho foi adiantado em cerca de 10 anos. Assim como o executivo do LinkedIn, Milton Beck, Roberta também acredita em um modelo de trabalho distribuído, inteligente e cada vez mais flexível. 

“Quando falo sobre coworkings e sobre escritórios flexíveis, estou falando de um escritório que você não precisa fazer obras, investir em Capex, colocar móveis, internet, água, cafezinho, limpeza — todos os serviços estão inclusos”, afirma Roberta, que também lembra que as empresas não precisam mais se amarrar a contratos longos e burocráticos. 

Em meio ao cenário de incertezas, o BeerOrCoffee se uniu à Sercon (empresa que é referência em saúde e segurança do trabalho) para criar um certificado de escritório mais seguro. Nele, os espaços adoram boas práticas, endossadas por órgãos como a Organização Mundial de Saúde (OMS), de forma que espaço evite a transmissão da COVID-19 ao máximo.

“Percebi que as pessoas precisavam de algo para sentir essa maior segurança nos espaços de trabalho”, conta Roberta. Para saber mais sobre o projeto do certificado mais seguro, clique aqui. 

home office

Home office ou escritório

De fato, não existe uma resposta certa para responder a essa questão. Algumas pessoas preferem o home office, enquanto outras têm predileção para o escritório. A nossa CEO Roberta Vasconcellos, como já dissemos, acredita em um modelo distribuído — ou o famoso anywhere office. 

O anywhere office é um estilo de vida profissional que indica que a pessoa é livre para escolher onde ela quer trabalhar. Pode ser em casa, no coworking, na cafeteria ou em um espaço tradicional. O importante é que a pessoa esteja à vontade e feliz. Você concorda? Deixe um comentário abaixo, a sua opinião é muito importante para a gente.

Facebook Comments
Home office deixa brasileiros mais ansiosos e estressados, aponta pesquisa do LinkedIn

O futuro dos escritórios na visão de Roberta Vasconcellos, CEO do BeerOrCoffee

Home office deixa brasileiros mais ansiosos e estressados, aponta pesquisa do LinkedIn

O que é Escritório Virtual, quais suas vantagens e por que sua empresa deve adotá-lo

Newer post