Trabalho remoto e home office: quais as principais diferenças e que modelo escolher para minha empresa

Muitas pessoas não conhecem algumas particularidades do trabalho remoto. O home office, por exemplo, é uma das modalidades dessa forma de trabalho a distância. Além do trabalho em casa, podemos destacar que as atividades realizadas em coworkings, cafés, bibliotecas e até mesmo na sede da empresa — conforme a cultura de cada organização — são opções de trabalho remoto. 

Eventos inesperados como a crise do coronavírus promovem intensas transformações em nossas vidas. Entre essas mudanças, o trabalho remoto e o home office nunca tiveram tanta evidência no dia a dia das empresas e dos seus profissionais. Afinal, a necessidade do isolamento social aumentou o número de pessoas trabalhando em casa.

Com isso, milhares de organizações e colaboradores (inclusive, os que nunca haviam aplicado o modelo de trabalho em casa) estão adaptando suas rotinas para garantir a segurança e a saúde em um momento de transformações abruptas. No entanto, para uma boa adaptação, é fundamental saber se organizar bem.

Vale lembrar que essa é uma tendência que, apesar de ter sido impulsionada pela pandemia da Covid-19, não está limitada ao período da doença. Ainda no início da quarentena, para você ter uma ideia, estudos — como um realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) — apontavam que o número de empresas trabalhando em home office cresceriam mais de 30% após o término do período de distanciamento social.

Entre as vantagens do trabalho longe do escritório tradicional, podemos destacar questões como a praticidade, a flexibilidade e o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Entretanto, também há diversos desafios, como a dificuldade de concentração, a falta de rotina e, em alguns casos, a solidão. Por isso, harmonizar as duas partes da balança requer muita força de vontade e disciplina.

A partir desse cenário, surge a questão: será que existe um equilíbrio entre os benefícios do trabalho remoto (incluindo o home office) e as vantagens do escritório tradicional? Qual deles escolher?

Bom, nós acreditamos que sim. O BeerOrCoffee, por exemplo, nasceu como uma empresa 100% remota. Ou seja, trabalha a distância desde o primeiro dia e acredita que o modelo remoto seja realmente a melhor opção.

Neste post, falamos o porquê disso e destacamos as principais diferenças entre home office e trabalho remoto — ou Anywhere Office, que nada mais é do que o trabalho realizado em qualquer lugar. Depois, mostramos qual é o melhor caminho para sua empresa e ainda apontamos enganos comuns que costumam acontecer no home office.

Você vai se impressionar com a liberdade e a flexibilidade que podem ser proporcionadas à sua organização e equipes. Confira!

Trabalho remoto e home office: quais as principais diferenças e que modelo escolher para minha empresa

Entenda quais são as 4 principais diferenças entre o trabalho remoto e o home office

Primeiramente, precisamos ressaltar que o trabalho remoto não é igual ao home office — o trabalho em casa é apenas uma das suas modalidades. Para uma melhor compreensão, vamos entender as principais diferenças entre esses dois conceitos.

  • Dica: continue a leitura e vá pensando na realidade da sua empresa para escolher o formato ideal para a sua organização — mas já adiantamos que temos a convicção de que você vai se apaixonar pelo trabalho remoto. Vamos lá?

1. O LOCAL DE TRABALHO

O home office, obviamente, consiste em trabalhar em casa (e isso não é nenhuma novidade). Assim, o profissional pode criar um ambiente específico, com uma estrutura adaptada de escritório, ou apenas ajustar o ambiente da sala ou quarto para trabalhar desses espaços. O ideal é sempre que haja um espaço separado.

Ou seja, é importante não trabalhar em ambientes desconfortáveis, como sofá e cama — ou ficar alternando entre um e outro. Mesmo que o colaborador aproveite a mesa de jantar, por exemplo, é importante instruí-lo a escolher um lugar específico para realizar suas atividades. Isso facilita na organização da rotina e na eficácia das tarefas.

Já o trabalho remoto, em seu sentido mais amplo, engloba as mais diversas possibilidades. Isso significa que você pode escolher trabalhar:

  • Em casa quando precisar;
  • Em um espaço de coworking; 
  • No escritório sede da sua empresa — quando a cultura da empresa permite uma política de trabalho mais flexível;
  • Em um café ou biblioteca etc. 

A sua escolha dependerá da sua rotina do dia, das suas reuniões e do que será mais conveniente e produtivo naquele momento. Por exemplo, no dia que você tem uma reunião com o cliente, pode trabalhar no escritório da empresa; no outro em que você está com um projeto em que precisa de mais foco, pode trabalhar em casa; já quando está precisando mudar os ares e otimizar o networking, pode optar pelo coworking.

Na prática, no modelo de trabalho remoto, você pode escolher o local em que realizará suas atividades, de acordo com aquilo que é melhor para a sua rotina. Dessa forma, consegue administrar melhor o seu dia a dia. Esse conjunto de formatos se chama modelo híbrido (ou distribuído) de trabalho. Abaixo, Roberta Vasconcellos, CEO e co-fundadora do BeerOrCoffee, fala mais sobre esse formato. Assista ao vídeo e confira!

2. A ESTRUTURA DO ESPAÇO DE TRABALHO

Trabalhar em casa isolado em alguns dias, em geral, é confortável. Mas ficar todos os dias em home office acaba se tornando um problema quando você não possui a estrutura adequada — contando, por exemplo, com uma boa internet e cadeiras e mesas apropriadas.

Isso porque os escritórios são pensados por engenheiros, arquitetos e médicos do trabalho, com o objetivo garantir um ambiente ergonomicamente correto, com uma boa iluminação e móveis confortáveis, de forma que as pessoas tenham a melhor experiência possível no ambiente de trabalho. 

Essa é uma das grandes diferenças entre o home office e o trabalho remoto. Não por acaso, empresas que optam pelo anywhere office possibilitam que seus colaboradores, além do home office, escolham o conforto e a estrutura proporcionados pelos escritórios de coworking, pelos espaços da sede da organização e até mesmo pelos cafés e bibliotecas — o que predomina é a liberdade do funcionário.

Claro, porém, que é uma liberdade que vem com muita responsabilidade. Com isso em mente, podemos afirmar que a flexibilidade no dia a dia do trabalho contribui para que as pessoas executem suas atividades de forma mais produtiva e feliz.

Nesse sentido, vale ressaltar que o avanço da cultura do anywhere office está fazendo com que algumas casas tenham a sua estrutura transformada. De acordo com uma reportagem do jornal Gazeta do Povo, por exemplo, percebe-se um crescimento no número de projetos residenciais que incluem um espaço para o home office.

Isso quer dizer que as pessoas já compreenderam que essa não é uma tendência passageira. Com a possibilidade de trabalhar remotamente, elas pensam que os espaços de suas casas necessitam ser adequados para que tenham mais conforto nos dias em que optarem cumprir suas atividades no aconchego do lar.

3. A CONVIVÊNCIA COM OS COLEGAS

Ao contrário do modelo de atuação exclusivo em home office, em que os colaboradores ficam separados, cada um em sua casa, o trabalho remoto permite que as pessoas se encontrem presencialmente. 

Esse é um ponto muito importante, pois os profissionais que ficam sempre em casa, isolados de outros colegas, tendem a sentir-se solitários e isso pode desencadear, inclusive, doenças de saúde mental como a depressão e a síndrome do pânico. 

Se sua equipe trabalha remotamente, é possível agendar encontros presenciais em coworkings de maneira periódica (e até mesmo na sede da empresa, que pode ser em um prédio comercial ou dentro de redes de escritórios flexíveis).

Caso um de seus funcionários esteja em uma cidade em que não há mais ninguém da empresa, ainda assim ele pode frequentar um espaço compartilhado e desfrutar da convivência com diversas pessoas — e ainda com o benefício do networking e daquele cafezinho especial para tornar a rotina mais leve.

Inclusive, um dos maiores benefícios de frequentar um coworking é justamente a possibilidade de praticar o networking. Profissionais de diversas áreas frequentam esses espaços e começam a entender, na prática, o que é trabalho remoto e os seus inúmeros benefícios gerados.

Abaixo, em um evento do BeerOrCoffee sobre o trabalho flexível, mostramos como Twitter, XP e Coca-Cola estão adotando o trabalho remoto! Não deixe de conferir!

4. A CONCENTRAÇÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO

Talvez você more sozinho em um bairro tranquilo e consiga mergulhar de cabeça na concentração para fazer suas tarefas profissionais. Ou talvez more com seu marido, dois filhos, um gato, um cachorro e tenha que lidar com uma obra bem em frente ao apartamento. Pode ser, ainda, que esteja no meio-termo entre essas situações.

Seja como for, em casa a possibilidade de haver distrações é muito maior em relação a um ambiente que foi projetado para o trabalho. Existem dias em que você precisará fazer tarefas domésticas, ou que o encanador estará consertando um vazamento, por exemplo. A certeza é de que as situações são as mais diversas possíveis.

Trabalhar remotamente significa que, quando você precisar (ou quiser) ficar em casa por algum motivo, você pode. Mas que quando for necessário ir ao escritório, realizar reuniões externas, se concentrar e contar com um ambiente mais profissional, você também terá acesso a uma estrutura mais profissionalizada.

Por isso, ao refletir sobre o trabalho remoto, sempre pense no modelo anywhere office, ou seja, quando as atividades profissionais podem ser realizadas em qualquer local.

Se você gostou dessas ideias até aqui, mas ainda quer saber mais, assista ao vídeo abaixo, em que nosso embaixador André Pannos explica ainda mais sobre as diferenças entre home office e trabalho remoto dando os exemplos de cafeterias e coworkings. Em seguida, confira qual é o melhor formato de trabalho para sua empresa.

O MELHOR FORMATO DE TRABALHO PARA A SUA EMPRESA

Agora que você aprendeu sobre as principais diferenças entre o trabalho remoto e home office, deve estar se questionando: mas, afinal, qual é o melhor para a minha empresa? Qual deles vai dar certo para a minha realidade?

É preciso considerar, primeiramente, que ambos os formatos são ótimos e trazem diversos benefícios para a sua organização. Entretanto, eles apresentam diferenças consideráveis — como você viu ao longo deste conteúdo.

Se pudéssemos dar uma dica para a sua empresa, certamente apostaríamos no trabalho remoto (ou Anywhere Office — que, como você conferiu, também engloba o home office). Isso porque o profissional tem a liberdade para optar pelo formato que se sente mais confortável e produtivo — seja em casa, na sede da empresa ou no coworking.

Porém, notamos que essa realidade ainda é nova no Brasil. Muitos empreendedores não têm conhecimento sobre o que é e quais são os benefícios que o Anywhere Office pode trazer para a sua empresa. Afinal, muitas vezes pensam que precisam escolher entre dois formatos: o presencial (o trabalho tradicional) ou o home office — ou seja, sem compreender as vantagens do trabalho híbrido.

Se você também pensa assim, não se preocupe! Confira, a seguir, os principais benefícios do trabalho remoto para você ter a certeza do investimento nesse novo formato. Vamos lá?

OS 6 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DO TRABALHO REMOTO

Você ainda não está totalmente convencido de que o trabalho remoto é uma opção interessante para a sua empresa? Se sim, confira quais são os 6 principais benefícios dessa metodologia.

1. Proporciona a liberdade de trabalhar em qualquer lugar

Como vimos, o colaborador pode escolher trabalhar em casa, na empresa, em um coworking, em um café ou qualquer outro lugar que se sinta mais confortável;

2. Diminui os quadros de ansiedade e depressão

Precisamos considerar que muitas pessoas não se adaptam ao formato 100% home office devido ao distanciamento social, o que pode aumentar os quadros de ansiedade e depressão. Com o trabalho remoto tende a não acontecer; afinal, dificilmente o colaborador trabalhará sozinho — principalmente se optar pelo coworking;

3. Promove a inclusão social

O trabalho remoto permite contratações muito mais abrangentes. Ao eliminar a distância, você não limita as contratações por localidade. Assim, cria oportunidades para trabalhar com a diversidade no seu time, podendo contratar, por exemplo, colaboradores com dificuldades motoras — afinal, o deslocamento diário não se torna obrigatório;

4. Reduz os custos da sua empresa

Ao apostar no trabalho remoto você não tem despesas com água, luz, internet e outras despesas afins. Claro que, no home office, você precisa se preocupar com essas questões também. Entretanto, uma dica legal aqui é apostar nos coworkings, que trazem uma infraestrutura completa ao colaborador por um preço muito mais acessível. Em outras palavras, isso reduz os custos da sua empresa;

5. Promove a satisfação dos colaboradores

Ao proporcionar o poder de escolha ao colaborador, mostra que a sua empresa confia nas suas habilidades, aumentando a sua lealdade e satisfação. Isso traz mais confiança e credibilidade para a sua empresa, que confia plenamente nas escolhas dos funcionários;

6. Garante menos distrações e mais produtividade

Um dos principais problemas da produtividade empresarial são as distrações no ambiente de trabalho. O trabalho remoto dá a liberdade para o colaborador escolher quando e onde quer trabalhar. Ou seja, se um dia tiver uma reforma em casa, ele pode optar pelo coworking. Se no outro ele planejou trabalhar na empresa e os colegas estão sendo muito barulhentos, ele pode ir para casa.

trabalho remoto e home office
Co.W. Coworking Space, em São Paulo

OS EQUÍVOCOS MAIS COMUNS DO TRABALHO REMOTO

Conforme já destacamos ao longo do texto, por ser um tipo de trabalho relativamente novo no Brasil, muitas empresas e pessoas acreditam em mitos e informações erradas sobre o trabalho remoto. Por isso, vamos apresentar, nos tópicos a seguir, 3 dos equívocos mais comuns do trabalho remoto.

1. Dificuldades de comunicação

Não é porque o trabalhador é remoto e não participa de reuniões presenciais toda semana que ele não faz parte da equipe, certo? Geralmente, esses colaboradores sempre dão feedbacks sobre o que foi realizado e participam ativamente de chamadas de vídeo. Mesmo não estando presentes nas confraternizações da empresa, eles sempre procuram conversar com os parceiros mais diretos.

2. Disponibilidade 24h / 7 dias da semana

Por mais que sempre possa estar em seu local de trabalho, ou seja, em qualquer lugar, o trabalhador remoto não precisa estar sempre disponível. Afinal, isso vai desgastar o funcionário, fazê-lo ficar sempre cansado e, é claro, diminuir a produção e a paixão pelo trabalho. Por isso, quando for fechar com uma empresa um contrato de trabalho remoto, é essencial ter bem claro os horários de trabalho e as folgas semanais. Isso sempre deve ser respeitado.

3. Trabalhadores de pijama

Muitas pessoas acreditam que os trabalhadores remotos passam o dia inteiro de pijama, produzindo de suas camas. Nada mais equivocado! Por se tratar de profissionais, alguns deles até mesmo colocam roupa social para trabalhar em casa, como se fossem para um escritório. Por isso, acreditar no potencial do seu funcionário, independente de onde ele produzir, é essencial para todos saírem ganhando.

POR QUE O FUTURO TENDE A SER HÍBRIDO?

Como vimos, o trabalho remoto não significa trabalhar em casa versus trabalhar na empresa. Ele combina essas duas (e outras) opções em um formato que atenda as reais necessidades da sua empresa e dos colaboradores.

Essa combinação permite refletir o que você realmente precisa — algo mais flexível em alguns dias; outros, talvez, mais engessados. O fato é que a escolha do ambiente  de trabalho traz grandes vantagens para todos os tipos de negócios (evidentemente, estamos nos referindo apenas às empresas que podem operar remotamente).

Em um cenário de pós-pandemia, com as atividades voltando ao normal, as pessoas aumentarão as possibilidades de escolha. Afinal de contas, considerando todos os cuidados necessários de segurança e saúde no trabalho, tudo leva crer que, cada vez mais, as empresas e os profissionais optarão pelo modelo híbrido.

Além disso, a tecnologia também contará com um papel cada vez mais importante nesse sentido. O avanço dos serviços de computação em nuvem, assim como a Internet das Coisas e o 5G devem fazer com que o trabalho remoto se torne ainda mais popular.

No livro “Você, eu e os robôs: pequeno manual do mundo digital”, por exemplo, a escritora e pensadora Martha Gabriel faz uma afirmação interessante. Ela comenta que o ser humano está cada vez mais cíbrido. O cibridismo, na visão da autora, é uma junção dos termos “ciber” e “hibridismo”. De tal modo, algo cíbrido é híbrido e, ao mesmo tempo, faz parte do universo cibernético.

Para Gabriel, o universo offline já acabou. Ela comenta que, antigamente, para estar online, era preciso fazer login em um equipamento, como os antigos computadores de mesas, que eram cheios de fios e cabos.

Atualmente, com os smartphones, tablets, notebooks e outros dispositivos móveis, estamos conectados o tempo todo. Não há mais uma barreira, algo que separe o universo físico do digital.

Isso contribui muito para que a cultura do anywhere office cresça e se perpetue. Afinal, não é mais necessário que o colaborador vá até a sede da empresa para ter acesso a um software de gestão que está instalado em um hardware local, por exemplo.

A computação em nuvem e as diversas ferramentas de comunicação e gestão de processos digitais, por exemplo, possibilitam que os trabalhos sejam realizados em qualquer local. Estar online e offiline ao mesmo tempo representa o fim das barreiras para a execução do trabalho remoto.

COMO COMEÇAR O TRABALHO REMOTO?

Como já foi dito anteriormente, é preciso ter um local tranquilo, sem distrações, com cadeiras e mesas ergonômicas e, é claro, uma internet de alta velocidade. No entanto, será que é só isso que precisa? 

Claro que não! Para fazer um trabalho remoto com a mesma qualidade do presencial você precisa de ferramentas de gerenciamento, organização e, é claro, softwares para conversas online e por vídeo. 

Programas como Zoom, Hangouts e Meets são essenciais para reuniões online e, é claro, rever os amigos de equipe após um longo dia de trabalho. Algumas empresas inovaram durante a pandemia e passaram a fazer até mesmo happy hours pelas telas de computadores e celulares. É uma ótima forma de socializar a equipe sem ter problemas com aglomerações.

Para gerenciamento de tarefas, você pode utilizar o Trello ou as planilhas do Google. Inclusive, este último é uma ferramenta completa para tudo. Chamadas de vídeos, textos, planilhas e apresentações podem ser feitas pelo Google, de forma gratuita e bem feita.

Muitas pessoas acreditam que, para fazer o trabalho remoto, precisam ter habilidades específicas, ou atuar em áreas fechadas, como especialistas em tecnologia. Entretanto, essa não é uma obrigatoriedade. Com a pandemia, por exemplo, profissionais como os professores, artistas, cantores, psicólogos e nutricionistas foram impulsionados a se reinventar e a (re)aprender a lidar com essas ferramentas.

Em um contexto de isolamento social que todo mundo viveu (e, em alguns casos, ainda vive), todo mundo precisou ficar em casa, mas a vida não pode parar. Quem já estava no trabalho remoto avançou ainda mais e aproveitou as oportunidades que a pandemia trouxe. Mas e quem sempre trabalhou no presencial? Teve que se transformar!

As vendas, por exemplo, que tinham baixas expectativas de crescer durante a pandemia, foram quase que totalmente para o ambiente virtual. Isso, longe de ser ruim, fez as empresas se tornarem conhecidas por pessoas fora de sua região física, mas dentro da internet. Até mesmo a Festa Junina foi feita na caixa e entregue em casa, com kits personalizados.

Além das oportunidades de trabalho e de muitas atividades que passaram a serem feitas na weh, também surgiram muitos cursos online e gratuitos, feitos especialmente para capacitar quem nem imaginava trabalhar pela internet. Alguns deles têm certificados e, por eliminar as distâncias físicas, podem ser feitos a todo momento, até mesmo em seus períodos de folga. 

Por isso, se você deseja se aprofundar no assunto e compreender mais sobre o que é trabalho remoto e temas relacionados, fazer um desses treinamentos pode ser uma alternativa muito interessante.

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS ÁREAS EM QUE SE PODE TRABALHAR REMOTAMENTE?

Conforme explicamos, com o desenvolvimento da cultura anywhere office e a compreensão sobre o que é trabalho remoto, cada vez mais as pessoas e empresas estão ficando atentas sobre os benefícios dessa prática.

Também falamos sobre os avanços das tecnologias, que possibilitam que o trabalho remoto se torne cada vez mais popular e possível. Atualmente, são poucas as áreas em que não se pode fazer pelo menos parte das atividades remotamente.

Veja, a seguir, algumas das principais áreas em que o trabalho remoto mais tem crescido!

EDUCAÇÃO

Com o surgimento de novas plataformas de educação digital e vídeo, os professores agora têm autonomia para trabalhar remotamente e dar aulas online, particulares ou em grupo.

Além disso, além das aulas remotas, o mercado da educação está cada vez mais apostando na produção de conteúdos, como e-books, apostilas digitais, videoaulas, podcasts, entre outros.

Os professores conteudistas podem trabalhar remotamente, produzindo os conteúdos que serão acessados pelos alunos para que eles fixem melhor o seu aprendizado.

COMUNICAÇÃO

A área da comunicação também é cada vez mais remota! Isso acontece em praticamente todos os âmbitos desse setor. As agências de publicidade, design e relações públicas, por exemplo, já trabalham de forma totalmente remota, com os profissionais atuando em coworkings ou em suas próprias casas.

Até mesmo os grandes veículos de comunicação, como os portais de internet, jornais e emissoras de TV, adotaram o trabalho remoto. Exemplo disso pode ser visto na pandemia do novo coronavírus, quando muitos jornalistas e repórteres transformaram as suas próprias  casas em estúdios para apresentar os telejornais, gravar chamadas de matérias e fazer entradas ao vivo nos programas de televisão.

CALL CENTERS

Os call centers também já funcionam de forma totalmente online e a distância. Com a internet, cada operador pode ficar em sua casa ou alocado em qualquer lugar em que haja um bom acesso a internet e fazer o atendimento aos clientes.

Para as empresas do segmento isso é interessante, tendo em vista que há menos gastos com infraestrutura. É possível fazer assinatura de uma plataforma de coworking, por exemplo, e gastar bem menos do que se precisasse alugar um escritório para funcionar 24 horas por dia, o que é necessário para os call centers em diversos segmentos.

DESENVOLVIMENTO WEB

Os desenvolvedores web, que trabalham na construção de sites, programas, jogos e outros tipos de softwares digitais, já costumam trabalhar remotamente há bastante tempo. Para esses profissionais, o silêncio e a concentração são muito importantes.

Por isso, ficar isolado em casa ou em uma sala individual, por exemplo, é uma excelente alternativa para poder fazer cálculos complexos e analisar códigos de programação, sem ser interrompido. A produtividade, por conta disso, tende a crescer muito!

SAÚDE

Até mesmo os médicos, os enfermeiros, os psicólogos e outros profissionais da área da saúde podem trabalhar remotamente. É claro que em algumas situações isso não é possível, como quando é necessário fazer um exame clínico no paciente, por exemplo.

Agora imagine uma pessoa que tem uma doença crônica, como a diabetes, por exemplo. Ela precisa fazer visitas mensalmente ao seu médico para contar como está sua saúde e pegar as receitas para comprar os medicamentos de uso contínuo que necessita.

Nesse caso, o profissional de saúde pode perfeitamente atender de forma remota, utilizando ferramentas de videoconferência. Ele pode ouvir as dúvidas do paciente, repassar orientações, dar as receitas dos medicamentos via plataforma autorizada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) etc.

Caso o médico perceba que o paciente precisa passar por um exame clínico ou avaliação presencial, ele pode solicitar o agendamento desse encontro. Porém, a maior parte dos atendimentos pode ser solucionado com as práticas da telemedicina.

FAQ: 5 PERGUNTAS RESPONDIDAS SOBRE O TRABALHO REMOTO

Entendido o que é trabalho remoto e quais são as principais diferenças em relação ao home office? Caso tenha outras dúvidas sobre o tema, não se preocupe! A seguir, responderemos as mais comuns. Acompanhe!

1. QUAL É O PRIMEIRO PASSO PARA PREPARAR A EMPRESA PARA O TRABALHO REMOTO?

Um dos primeiros passos que devem ser dados por uma empresa que deseja iniciar um processo de migração para a rotina do anywhere office é o investimento em infraestrutura. Existem alguns itens que são importantes de serem comprados para os colaboradores, por exemplo, para que eles preparem o lar para trabalhar em home office, quando for necessário.

Também é uma boa ideia conhecer planos de plataformas de coworking, que permitem que os colaboradores possam escolher escritórios compartilhados próximos às suas casas, por exemplo. Assim, eles poderão trabalhar remotamente com mais qualidade e com toda a infraestrutura necessária para tal.

Um item que precisa ser destacado é que, para dar certo, é essencial que os fundadores e a alta gestão sejam entusiastas do trabalho remoto. Sem o exemplo de quem toma as decisões, é muito pouco provável que o trabalho a distância decole na organização. 

2. COMO PREPARAR OS COLABORADORES PARA UMA ROTINA DE TRABALHO REMOTO?

Para que os colaboradores se sintam preparados para ter uma rotina de trabalho remoto, é importante que alguns detalhes sejam combinados. É interessante ter os horários da rotina muito bem definidos, por exemplo. Isso evita que as pessoas trabalhem em excesso, também em seus períodos de descanso, e possam ficar muito cansadas ou desmotivadas.

Além disso, oriente os colaboradores a fazerem pausas regulares, utilize boas ferramentas de comunicação, gestão etc. Ter uma boa relação, embasada na confiança e com feedbacks constantes, também ajuda na preparação para trabalhar remotamente.

3. COMO FAZER REUNIÕES VIRTUAIS COM QUALIDADE?

As reuniões virtuais se tornam necessárias quando se tem uma rotina de trabalho remoto. Ferramentas como o Zoom e o Skype são muito úteis nesse momento, mas não são suficientes.

A tecnologia é apenas um canal e quem faz as reuniões serem produtivas e terem qualidade são as pessoas. Por isso, alguns protocolos devem ser seguidos nesses encontros.

Uma boa prática é solicitar que todos liguem as câmeras para que se possa ter um contato olho no olho. Os colaboradores também devem ser orientados a agir como se estivessem em um encontro presencial, desligando os celulares, não realizando outras atividades ao mesmo tempo etc.

4. COMO TER COLABORADORES ENGAJADOS COM O TRABALHO REMOTO?

O trabalho remoto faz parte da cultura do anywhere office e, assim como em todos os processos culturais, ocorre um movimento cíclico, que está sempre em movimento.

Afinal, vale lembrar que a cultura não é algo estático, que se mantém sempre da mesma forma. Por isso, é importante trabalhar essa questão com os colaboradores para que eles percebam que a identidade da organização está se transformando a todo momento. 

Os programas de endomarketing, por exemplo, ganham força nesse sentido e podem ajudar muito os colaboradores a serem mais engajados. A empresa pode enviar mensagens em newsletters e redes sociais internas, promover eventos de integração a distância etc.

Essas atividades ajudarão as pessoas a compreender que o trabalho remoto é interessante para todos e se manterão engajadas com a empresa. Isso é importante de ser realizado, sobretudo, para as companhias que têm pessoas mais velhas e conservadoras em seu quadro de funcionários.

Um jovem que nasceu em meados da década de 1990 e já cresceu rodeado de tecnologia, por exemplo, tem mais facilidade para trabalhar a distância, mas será que um profissional mais maduro e que iniciou a carreira há décadas age da mesma forma? São questões como essa que devem ser analisadas de forma pontual. 

5. COMO GARANTIR A SEGURANÇA DE DADOS NO TRABALHO REMOTO?

Ao aprender sobre o que é trabalho remoto, muitos empresários se preocupam em como garantir a segurança de dados nessa modalidade. Afinal, é preciso preservar as informações sigilosas da empresa e também de seus colaboradores.

Além disso, garantir a segurança de dados é um dos preceitos da nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que multa as companhias que deixarem informações de terceiros expostas, por exemplo.

Para evitar esse tipo de situação, é preciso se precaver e adotar alguns hábitos para manter os seus dados online sempre seguros. A empresa pode orientar os colaboradores a sempre usarem senhas difíceis para o acesso às plataformas digitais, por exemplo.

Além disso, vale a pena fazer o uso de sistemas criptografados e garantir que todos os equipamentos usados pelos funcionários sejam equipados com bons antivírus.

Você pode se interessar por esses outros conteúdos

👉 Trabalho remoto na prática: como se organizar para ter os melhores resultados

👉  Gestão de Facilities: um guia sobre a profissão do futuro

👉  O que é “anywhere office” e como essa cultura pode beneficiar sua empresa

CONCLUSÃO 

Antes uma realidade ainda distante para muitos, o trabalho está cada vez mais próximo das pessoas e das empresas. Portanto, vale a pena começar a considerar esse formato e adaptá-lo à realidade da sua empresa. Temos a certeza de que, com um bom planejamento, você vai aprovar e recomendar a experiência aos seus amigos.

Então, não hesite em apostar nesse formato de trabalho. Se você tem dúvidas, vá aos poucos: comece introduzindo o trabalho remoto no setor de marketing, por exemplo. Avalie os resultados em um mês e compare com os índices de produtividade dos meses anteriores. O mais importante é mensurar o desempenho de todos e ir corrigindo as falhas e dificuldades que possam surgir no meio do caminho.

O segredo é: vá aos poucos, faça testes e aperfeiçoe as estratégias. Aqui, uma grande aliada são as pesquisas de satisfação. Isso ajuda a entender a visão do colaborador e a melhorar as estratégias no trabalho remoto. Ao mensurar esses resultados, temos a certeza que você encontrará dados incríveis para compor um planejamento estratégico de sucesso.

O maior desafio do trabalho remoto é a organização e disciplina, que já demos as dicas aqui. Como para o futuro a tendência é o trabalho remoto, com horário flexível, quanto antes você implementar na sua empresa, melhor. Grandes empresas, como a Google, já colocaram seus funcionários em trabalho remoto definitivo, pois ninguém sabe quando a pandemia irá acabar.

Por isso, é fundamental ter colaboradores felizes e produtivos, mesmo durante esses tempos incertos. Porque, a única certeza que nós ainda temos é que a vida não pode parar e nem o trabalho. Ainda que isso signifique o trabalho remoto de modelo híbrido.

Agora que você já sabe tudo sobre o significado de trabalho remoto, podemos ajudá-lo a começar na sua empresa! O OfficePass do BeerOrCoffee dá direito a uma assinatura com acesso a mais de 1.000 coworkings, pacote de créditos para diárias em coworkings e uso de salas de reunião em mais de 160 cidades. Confira agora mesmo!

Facebook Comments
Trabalho remoto e home office: quais as principais diferenças e que modelo escolher para minha empresa

6 ideias para reduzir custos na empresa durante a crise do coronavírus

Trabalho remoto e home office: quais as principais diferenças e que modelo escolher para minha empresa

Como unir escalas inteligentes e o trabalho remoto

Newer post