6 ideias para reduzir custos na empresa durante a crise do coronavírus

Por mais que pareça difícil reduzir custos na empresa sem abrir mão de itens essenciais ou recorrer a demissões, isso é possível. Veja nossas dicas!

Reduzir custos na empresa e otimizar os ganhos é sempre uma boa ideia. Mas em momentos de crise como o do coronavírus isso se torna não só interessante, mas essencial. Para manter as operações rodando e evitar demissões ou outros cortes de ativos imprescindíveis, é preciso criar um plano de ação com estratégias muito bem planejadas.

Embora você não possa controlar o mercado e “forçar” seus clientes a gastar mais, você pode cortar custos desnecessários — ou menos necessários neste momento. O truque é saber quais custos são seguros para cortar, em quanto e por quanto tempo.

Neste texto daremos algumas dicas para que você possa encontrar maneiras fáceis de manter a margem de lucro líquido da sua empresa, reduzindo despesas comuns, sem prejudicar atividades críticas ou a capacidade de crescimento do seu negócio. Vamos lá?

1. Flexibilização de contrato de escritórios

A grande maioria das equipes está trabalhando no modelo de home office nas últimas semanas. Mas as empresas continuam pagando seus aluguéis, mesmo sem utilizar o espaço. Uma alternativa, se esse é seu caso, é buscar uma renegociação de contrato com seu locatário. Sabemos que todos estão passando por dificuldades nesse momento e o ideal é encontrar uma solução que seja interessante para ambas as partes.

Se você não tem know how para fazer essa negociação, é possível contar com o apoio de consultorias, sem custo adicional, como é o caso do produto de redução de custos do BeerOrCoffee. Nossos especialistas fazem todo o trabalho, encontrando o equilíbrio perfeito entre aquilo que sua empresa necessita e o que seu locatário pode oferecer na atual conjuntura.

reduzir custos na empresa

2. Realoque seus funcionários de acordo com as necessidades

Em momentos de crise é natural que determinadas áreas tenham queda na demanda, enquanto outras precisam de uma força tarefa para operar com mais eficiência. Nessas situações você não precisa recorrer a demissões em setores de vendas, por exemplo, para contratar funcionários da área financeira e sucesso do cliente. Realoque alguns de seus vendedores temporariamente para que eles possam ajudar no que for necessário.

Avalie os perfis dos seus colaboradores, como eles atuam e converse com eles para entender o que gostariam de fazer. Assim será possível agir de forma rápida e eficaz, criando uma equipe integrada, capaz de resolver as situações mais urgentes. Essa estratégia também é muito boa para times que estão precisando de novas ideias, já que pessoas de áreas diferentes trazem perspectivas inovadoras.

3. Invista em novas estratégias de marketing

Uma das primeiras coisas a se fazer quando uma empresa corta custos é reduzir o investimento em marketing e mídias pagas. Mas isso não quer dizer que você precise cortar a divulgação do seu negócio, já que ainda é importante trazer visibilidade. Existem várias formas de divulgação orgânica que podem gerar reconhecimento de marca e, mesmo em tempos de crise, angariar novos clientes. Algumas delas são:

  • Email marketing;
  • Posts ricos no site e/ou blog;
  • Posts nas redes sociais (principalmente YouTube, Facebook, Instagram e LinkedIn);
  • Produção de ebooks;
  • Webinars e lives;
  • Divulgação de materiais interessantes para a imprensa.

Todas essas estratégias são capazes de engajar seu público e disseminar seu conteúdo. A dica de ouro aqui é: certifique-se de que o material seja realmente interessante para quem está consumindo e tenha utilidade neste momento. Os textos, vídeos e imagens devem ter qualidade e transmitir transparência e credibilidade.

reduzir custos na empresa

4. Utilize ferramentas gratuitas online

Muitas ferramentas atualmente trabalham com um modelo que chamamos de “freemium”. Isso significa que existe uma versão gratuita em que os profissionais têm acesso a uma série de recursos. Caso queiram optar pela versão premium, pagam um determinado valor de acordo com o plano desejado.

Em momentos de crise vale a pena reavaliar as necessidades da sua empresa em relação às ferramentas utilizadas. É possível fazer algumas concessões e optar pela versão gratuita de diversos programas, mesmo que de forma temporária. Por exemplo, você pode gastar milhares comprando aplicativos de escritório e software de entrada de banco de dados quando pode usar o Google Docs. É igualmente bom e é gratuito para uso online.

5. Expanda sua gama de parceiros e fornecedores

Se você trabalha com a mesma cadeia de suprimentos há anos, pode estar perdendo boas pechinchas. Você pode pensar que a pesquisa de novos fornecedores e parceiros leva tempo, mas a economia de custos pode ser enorme. Especialmente se o seu mercado ou nicho cresceu nos últimos anos, é possível encontrar muito mais opções do que as que existiam quando você abriu suas portas.

Além disso, se você é um cliente de longa data, também pode abordar seus fornecedores atuais falando sobre a renegociação de seu contrato. Eles com certeza não querem perder uma conta, e podem estar dispostos a oferecer descontos ou complementos que poupam um investimento significativo.

6. Repense suas opções para se recuperar da crise

Após o período de quarentena, tudo indica que viveremos em um modelo híbrido de atuação. Ou seja, vamos variar entre escritórios, home office e espaços de coworking. Migrar seu negócio para os escritórios flexíveis também é uma maneira muito eficaz de reduzir custos na empresa com infraestrutura em até 70%.

Em uma entrevista à Jovem Pan a CEO do BeerOrCoffee, Roberta Vasconcellos, falou um pouco sobre o assunto:

A economia financeira acontece porque, em vez de ter que arcar com altos custos fixos relacionados à estrutura, a empresa paga apenas por uma parte deles. Na prática, as contas são rateadas entre todas as organizações que funcionam em um mesmo coworking, e isso é traduzido para o valor do aluguel que você paga para o local.

Levando em consideração gastos como aluguel, condomínio, IPTU, energia elétrica e outros, é possível fazer uma conta simples para comparar o custo total de um escritório tradicional versus um espaço compartilhado.

Em São Paulo, por exemplo, um time com 50 pessoas pode custar até R$ 97 mil/mês em um ambiente convencional. Enquanto isso, em um coworking é possível alocar essa equipe por menos de R$ 45 mil/mês. Isso representa uma economia de até 64%, que equivalem a quase R$ 750 mil por ano.

Como costumamos dizer, toda crise gera oportunidades para revermos nossos processos e estimula o surgimento de novas ideias. Por mais que estejamos passando por um momento difícil, tudo isso pode ser superado. Se você gostou desse texto e quer saber mais sobre como podemos te ajudar a reduzir custos na empresa, sem pagar nada a mais por isso, acesse nossa página clicando aqui.

Facebook Comments
6 ideias para reduzir custos na empresa durante a crise do coronavírus

Guia completo: saiba como ter equilíbrio entre carreira e estilo de vida

6 ideias para reduzir custos na empresa durante a crise do coronavírus

Trabalho remoto e home office: quais as principais diferenças?

Newer post