A invasão dos coworkings nos hotéis é uma tendência mundial?

Os ambientes multifuncionais são uma grande tendência no mercado imobiliário. Afinal, principalmente nos grandes centros urbanos, o tempo perdido com deslocamento está cada vez maior. As pessoas, por sua vez, estão cada vez mais impacientes. Então, faz sentido reunir várias funções em um só ambiente. Assim, vemos um grande crescimento do número de coworkings nos hotéis de grandes cidades.

Atualmente, grandes redes hoteleiras estão investindo nesse mercado. O objetivo é agregar valor aos seus empreendimentos e facilitar o dia a dia dos seus hóspedes. Está disponível para quem está passando pelo local durante uma viagem a trabalho ou quem participa dos eventos do espaço. Neste texto, buscamos responder a questão: a invasão dos coworkings nos hotéis é uma tendência mundial?

Vivemos a era da economia compartilhada

Você já deve ter ouvido por aí frases como a seguinte: “o Uber é a maior empresas de transporte do mundo e não possui nenhum veículo próprio e o Airbnb é a maior empresa de hospedagem do planeta e não possui nenhum imóvel”. No caso do BeerOrCoffee, somos a maior plataforma de coworkings do país e não possuímos um único escritório compartilhado próprio.

Isso resume bem a essência da economia compartilhada. As pessoas não mais pensam em adquirir certos bens, mas em compartilhá-los. Essa tendência surgiu a partir de uma necessidade econômica. Mas também de um ideal de redução do consumo e do desperdício. Para que comprar um carro se você pode ter não um, mas vários motoristas à sua disposição?

coworkings nos hotéis

E com os espaços de trabalho isso não foi diferente. Cada vez mais empresas e profissionais estão optando em abrir mão dos seus escritórios próprios (ou pelo menos parte deles) e migrando para os escritórios compartilhados. Além disso, o crescimento do trabalho remoto fez com que mais organizações optassem pela flexibilização de seus escritórios e modelo de negócios.

As redes hoteleiras entenderam a “onda do compartilhamento”

O surgimento de aplicativos e sites como o Airbnb revolucionou a forma como as pessoas se hospedam. Pessoas físicas passaram a disponibilizar suas casas e/ou cômodos extras para hóspedes temporários. Os viajantes, por sua vez, encontraram uma solução prática e econômica para a estadia.

Sabendo que não poderiam ficar para trás, as redes hoteleiras também decidiram inovar. Além de disponibilizar reservas nesses sites, os hotéis passaram a oferecer serviços e ambientes compartilhados. Eles estão disponíveis para os hóspedes e para o público externo.

Afinal, os espaços de trabalho colaborativos são um reflexo das demandas e das necessidades das pessoas, que contam com trabalhos que cada vez mais podem ser realizados longe dos escritórios tradicionais.

coworkings nos hotéis

Os hotéis ao redor do mundo estão expandindo seus horizontes

Nomes importantes como do setor hoteleiro como Marriott, Sheraton e Accor começaram a fazer grandes investimentos para expandir seus horizontes. Eles remodelaram suas ofertas de espaço de trabalho para criar escritórios de coworking produtivos e confortáveis ​​que atraem viajantes e moradores locais.

Durante o dia, os espaços de coworking da Moxy Hotels, por exemplo, oferecem espaços de trabalho confortáveis ​​e modernos para o trabalhador independente ou o viajante de negócios. À noite, os ambientes se transformam em pontos de encontro e eventos para os membros.

Conceitos como co-living também passam a integrar o dia-a-dia desses ambientes. São hotéis que procuram ampliar cada vez mais a sua área de atuação. Atrair nômades digitais pode ser uma estratégia de sucesso para o futuro das redes hoteleiras, que precisam se reinventar para as novas gerações. Daí a ideia de incluir coworkings nos hotéis.

A tendência de coworkings nos hóteis já chegou ao Brasil

Alguns proprietários de hotéis ainda podem hesitar em participar do movimento de coworking. Outros continuam a se concentrar na monetização de seus espaços de reunião. Mas o coworking é uma opção natural para a indústria hoteleira e se tornará um diferencial nos hotéis mais inovadores do mundo.

No Brasil, a chegada da panamenha chamada Selina é o primeiro indicativo de que existe essa demanda de mercado. A rede de hóteis tem um conceito muito diferente do que costuma-se ver por aí. A estrutura une o estilo de albergues ou hostels ao conforto e completude de hotéis.

coworkings nos hotéis
Hotel Selina, na Lapa, Rio de Janeiro/RJ

Serviços como aulas de ioga, meditação e outras atividades que envolvem a comunidade estão incluídos. A rede possui também, claro, espaços de coworkings nos hotéis. Inicialmente o Selina tem planos para Florianópolis, São Paulo e Rio de Janeiro. Mas com tanto potencial para o sucesso, quem sabe aconteça a expansão para o país inteiro?

O vice-presidente de expansão global da rede, Steven O’hayon, deu uma entrevista à revista Exame. Ele disse que os espaços funcionam como uma plataforma. “Pegamos o espaço físico e perguntamos às pessoas dali o que elas querem. Aulas de espanhol? Restaurante? Loja de surf? Nosso produto é procurar um espaço físico e dar para a comunidade local operar”.

Os coworkings nos hotéis representam a colaboração

A ascensão dos ambientes e objetos compartilhados mostra que a sociedade está pronta para ser mais colaborativa. Isso quer dizer que, como seres sociais, estamos voltando às origens de compartilhamento de espaços e do trabalho. É o caso das produções agrícolas, por exemplo, como acontece nas fazendas e hortas compartilhadas.

Após um período de muita competitividade e visões mais individualistas, a colaboração se tornou uma necessidade. Por isso, mesmo nos grandes centros urbanos, as pessoas estão passando a procurar ambientes que incentivem esse aspecto.

O crescimento dos escritórios compartilhados nos hotéis é reflexo do sucesso da cultura colaborativa empregada nos escritórios compartilhados. As pessoas não só estão trabalhando em um mesmo ambiente, mas também estão convivendo umas com as outras, compartilhando experiências e conhecimento.

Essas atitudes indicam não só o futuro da vida social, mas também do mercado de trabalho. Afinal, ele representa uma grande parte da vida das pessoas e de quem elas são. Empresas e profissionais já estão mudando sua postura em relação ao trabalho, e essas mudanças vêm para o melhor.

Se você quer entender mais sobre o futuro do trabalho e como se preparar para ele, leia este artigo que fala a respeito das cinco principais tendências sobre o futuro do trabalho para 2019.


Mariana Mendes é jornalista do BeerOrCoffee e apaixonada por escrever sobre marketing e futuro do trabalho.

Facebook Comments
A invasão dos coworkings nos hotéis é uma tendência mundial?

Networking no coworking: potencialize sua rede com 7 dicas poderosas

A invasão dos coworkings nos hotéis é uma tendência mundial?

Eventos em coworkings: confira os top 10 mais realizados

Newer post