Trabalhar em coworking: 4 áreas perfeitas para os espaços compartilhados

Trabalhar em coworking é sinônimo de alavancar projetos, negócios e empresas. Portanto, um número cada vez maior de consultores, empreendedores, freelancers e organizações não medem esforços para trabalhar nesses locais.

Afinal, entre tantas outras vantagens, há mais flexibilidade, eficiência operacional e economia de recursos. Esses ambientes se manifestam a partir de espaços de trabalho compartilhados e colaborativos.

Além disso, os coworkings são cuidadosamente projetados para que os mais diversos profissionais tenham as suas necessidades e demandas atendidas de forma simples, rápida e eficiente.

Nesses espaços, os usuários contam com tecnologia de ponta e as mais variadas conveniências, como wi-fi de alta velocidade, café & água, armário locker e cozinha compartilhada.

Com todas essas vantagens, é difícil imaginar uma área que não se adapte a esse universo. É claro, porém, que alguns campos técnicos precisam de um local adaptado para as suas particularidades. Mas isso, definitivamente, não é a regra.

Neste texto, vou mostrar 4 áreas que podem se beneficiar com a atmosfera dos espaços de trabalho compartilhado. Acompanhe

1. Freelancing

Não é raro encontrar empreendedores de ambientes de trabalho compartilhado dizendo que os coworkings começaram por causa do universo freelancing.

Sempre em movimento, muitos profissionais dessa área não se adaptam ao home office por conta das distrações que há em casa, como a esposa ou marido e filhos, a geladeira, a cama, o cachorro, o vizinho e por aí vai.

Assim, esses profissionais vão em busca de coworkings, que é um ambiente totalmente adequado para eles se manterem produtivos. Além disso, em muitos casos, o espaço de trabalho compartilhado também é muito bom para a pessoa fugir de uma possível solidão.

Ainda é um ambiente ideal para fazer networking e, assim, conquistar mais oportunidades de negócios e ainda faturar um dinheiro a mais. Dentro desse universo, cabem freelancers das mais diversas áreas, como marketing digital, arquitetura, línguas, direito e muito mais.

2. Fintechs

Nos últimos anos, o setor financeiro passou por grandes transformações, que impactaram o mercado fortemente. A mobilidade, a tecnologia e a internet fizeram com que as agências bancárias se tornassem quase obsoletas. Além disso, tendências como o Big Data e computação em nuvem estão mudando a maneira como os serviços são entregues para os usuários.

Foi nesse cenário que as fintechs nasceram e se multiplicarem. Elas são caracterizadas por empresas que usam a tecnologia de maneira intensiva, a fim de ofertar produtos e serviços financeiros de forma inovadora. Além disso, possibilitam que os usuários tenham uma experiência única, com processos mais simples em relação às instituições tradicionais.

Diante da grande demanda por espaços para realizar suas atividades, os espaços de trabalho compartilhados surgem como uma ótima opção para essas empresas. Afinal de contas, os coworkings permitem que as fintechs tenham vantagens como flexibilidade, conveniência, oportunidades a partir de uma rede e mentoras. Isso significa que são questões essenciais que toda fintech, que geralmente atua em ritmo de crescimento acelerado, precisa.

3. Startups

Sim, praticamente todas as fintechs são startups, uma vez que buscam um crescimento rápido e escalável. No entanto, vale destacar um capítulo especial às startups, que obviamente abrangem um universo muito grandes de áreas e particularidades. Apesar disso, elas têm em comum o espírito colaborativo, ou seja, tem tudo a ver com os coworkings.

Muito mais do que espaços de trabalho, os coworkings são caracterizados por um ambiente em que o senso de comunidade é muito forte. Dessa maneira, as pessoas estão sempre interagindo e trocando ideias, a fim de construir negócios e projetos mais criativos e inovadores.

Isso, por si só, já bastaria para dizer que os espaços compartilhados são perfeitos para as startups.

Mas, além disso, também é essencial destacar que os coworkings quase sempre contam com custos mais baixos em relação aos escritórios tradicionais. No caso de uma startup, que geralmente trabalha com recursos limitados, é o cenário ideal.

Assim, quando uma empresa desse tipo está em um ambiente de trabalho compartilhado, ela ganha impulso para se conectar e crescer.

4. Grandes empresas

Se engana redondamente quem acha que trabalhar em coworking é algo somente para freelancers, startups ou pequenas empresas. Definitivamente, as grandes empresas estão aproveitando as inúmeras vantagens dos coworkings.

Entre outras questões, esse movimento é cada vez mais forte porque, acima de tudo, trata-se de uma atitude estratégico.

Não é por acaso que grandes marcas, como Google e Apple, apesar de manterem escritórios tradicionais, são grandes adeptas do conceito. Afinal de contas, nesses espaços há uma vasta possibilidade de oportunidades de negócios nas mais diversas frentes. Entre as vantagens, podemos destacar mobilidade, eficiência operacional e economia de tempo e recursos.

Trabalhar em coworking também é ótimo para se conectar com uma rede de outras empresas e profissionais. Dessa maneira, as grandes organizações se tornam muito mais preparadas para criar e inovar, entregando experiências melhores para os seus clientes.

Além disso, elas ganham mais competitividade e aumentam as chances de se consolidarem e conquistar novos mercados.

Conclusão

Apesar de termos destacado 4 áreas ideais para os espaços compartilhados, está cada vez mais claro que trabalhar em coworking é para pequenas, médias e grandes empresas. Ou, então, para profissionais independentes, caso seja o seu caso.

O mais importante de tudo é que esses ambientes são sinônimo de uma atmosfera de independência, flexibilidade, novos contatos e custos acessíveis.

Trabalhar em coworking deixou de ser uma tendência para se tornar uma realidade de todos aqueles que querem se destacar e fazer a diferença no mercado.

Vivemos em um mundo de mudanças, mas a diferença é que o mundo nunca mudou de forma tão rápida. A partir desse cenário, é natural que associemos os coworkings à transformação digital e ao futuro do trabalho.

As próprias fintechs são exemplo desse futuro que, na verdade, é praticado no presente. As empresas de hoje não se podem mais se dar ao luxo de estarem presas a processos e contratos cheios de burocracias e entraves. Elas precisam se movimentar rápido, seja enxugando ou aumentando suas equipes, e os coworkings são perfeitos para isso.

Se você gostou deste texto sobre trabalhar em coworking, aproveite para conferir 5 vantagens dos coworkings para as fintechs.

Facebook Comments
Trabalhar em coworking: 4 áreas perfeitas para os espaços compartilhados

Como divulgar o seu trabalho para conquistar mais clientes

Trabalhar em coworking: 4 áreas perfeitas para os espaços compartilhados

Como os coworkings impactam as identidades profissionais dos funcionários

Newer post