7 cases e exemplos de sucesso de histórias contadas por grandes marcas

Quando somos apresentados a uma pessoa logo começamos a fazer perguntas para entendê-la melhor. Por quais experiências já passou, de onde veio e o que faz são apenas alguns pontos em que buscamos algo em comum para que possamos nos identificar.

Com as marcas não é tão diferente. Não são só missão, visão e valores que nos fazem escolher um negócio como nosso favorito. A maneira como os conceitos são passados influencia bastante na nossa percepção.

Empreendimentos que apostam em contar histórias para se aproximar do público, por exemplo, são mais bem-sucedidos ao transmitir essas ideias, que por sua vez se tornam fáceis de memorizar.

Talvez você não se lembre em que ano a Microsoft foi fundada, mas saiba que Bill Gates a criou em sua garagem. São as histórias contadas por grandes marcas que continuam em nossa mente e compõem nosso entendimento delas.

No artigo de hoje, vamos visitar algumas narrativas que se tornaram parte do imaginário popular, geraram buzz e serviram para aumentar o reconhecimento de empresas ao redor do mundo. Confira!

1. Converse

É provável que você já teve um All Star Chuck Taylor. Esse símbolo de rebeldia, criado pelo Converse em 1917, foi lançado para servir a jogadores de basquete, mas algumas décadas depois foi substituído por tênis da Adidas e da Puma que ofereciam melhor performance para a prática esportiva. O marketshare da empresa diminuiu e, em 2003, ela foi comprada pela Nike.

Porém, ainda vemos muitos tênis da Converse por aí. O que aconteceu? A nova gestão da marca passou a priorizar o valor sentimental da peça que comercializa e a associá-la a quem nunca a abandonou: as grandes estrelas do rock. De Joe Ramone a Kurt Cobain, muitos artistas integraram esse sapato a seu estilo e criaram moda com ele.

Em 2007, a campanha “History Made and The Making” concentrou-se em evocar justamente essa história, mostrando a importância cultural dos Converses desde a criação da NBA até a popularização do rock’n’roll.

Associada a um revival de modelos tradicionais, em versões inspiradas em quem já os vestiu, ela se tornou um grande exemplo de como marcas podem se inspirar no que aconteceu a elas para se fixarem no imaginário coletivo.

2. Apple

A campanha “Get a Mac” da Apple é estudada em todos os cursos de publicidade pela eficácia que teve junto ao público. Criada a partir da comparação entre os computadores da marca de Steve Jobs e aqueles produzidos pela Microsoft, ela durou 3 anos e é provavelmente uma das mais conhecidas do mundo.

Utilizando dois atores, a marca personificou seus produtos neles, comparando um jovem descolado e um executivo sisudo. Ali, a Apple contava uma história: a de que seus produtos são diferentes porque podem fazer de você eficiente, sem torná-lo “quadradão”.

Para uma empresa que sempre valorizou designs ousados, sistemas que se integram facilmente uns aos outros e softwares que podem ser utilizados com facilidade mesmo por quem acabou de ser apresentado a um computador, nada poderia transpor melhor essas ideias do que as conversas entre os dois personagens.

Em alguns anúncios de 20 segundos, os criativos da Apple conseguiram passar todos os valores da organização em que trabalham, sem remeter diretamente a eles.

3. O Boticário

Há alguns anos as campanhas mais importantes da O Boticário, como aquelas lançadas para o dia dos namorados, dos pais e das mães são baseadas em histórias. É esse o caso dos filmes criados em “Toda forma de Amor”, um minicurta metragem sobre como as pessoas se conhecem e se apaixonam.

Ali, dá para ver como a marca valoriza todos os seus clientes, independentemente do credo, cor ou sexualidade deles e cria produtos com a única aspiração de que sejam símbolos do amor.

4. Always

Você sabe de onde veio a expressão “lute como uma garota”? A Always, marca de produtos femininos, resolveu inspirar toda uma campanha na ideia de que meninas podem fazer o que quiserem e reuniu depoimentos de suas consumidoras sobre como elas quebraram barreiras em suas áreas.

Na primeira parte do filme, vemos estereótipos do que uma garota pode fazer e, na segunda, o que elas fazem de verdade. Voltada para o público que acaba de chegar a puberdade, a campanha foi um sucesso na arte de contar histórias.

5. Old Spice

O desodorante Old Spice é um dos produtos masculinos mais conhecidos no mundo, mas as coisas não andavam bem para a marca nos anos 2000. O mercado tinha mudado de linguagem e produtos, como os produzidos pela Axe, se tornado cada vez mais comuns, apelando para um público mais jovem do que o clássico Old Spice fazia. Os novos produtos não chamavam a atenção dessa fatia do mercado e as vendas estagnaram.

Até que nasceu a campanha “Smells like a Man”, com prints, anúncios na TV e sites interativos inspirados na masculinidade representada há muitos anos pela marca e por jogadores da NBL como Isaiah Mustafa. Sem mudar de identidade ou tentar ser jovem como a concorrente, o anúncio The Man Your Man Could Smell Like sozinho foi o suficiente para aumentar as vendas do produto em 27% nos EUA.

6. do Bem

A do Bem utiliza a própria história para inspirar consumidores desde que foi lançada. Criada por “jovens cansados da mesmice”, ela já contou em suas peças publicitárias tanto a narrativa de como seus sócios largaram os empregos tradicionais para virarem especialistas em suco quanto a origem das frutas que vão parar na caixinha (a fazenda do senhor Francisco).

Sua missão, visão e valores estão presentes em todas as peças, que prezam pela simplicidade e pela inovação. Dentre seus promocionais o mais importante é a caixinha do produto, que a cada vez que é manuseada lembra, em texto, como tudo começou.

7. Airbnb

Algumas marcas têm como consumidores os seus protagonistas e a Aibnb é uma delas. Afinal, são eles que movem todas as operações do negócio, abrindo suas casas para terceiros e oferecendo atrações como passeios guiados pela cidade. Por isso, a comunicação da empresa é voltada para as histórias da comunidade do Airbnb, que são contadas no blog da marca.

Mas foi a campanha “Belong Anywhere” o maior acerto da startup. Ali, ela mostra o que alguém pode esperar ao se hospedar pelo Airbnb e quantas histórias terá para contar depois da experiência.

Quando marcas contam boas histórias nos lembramos delas. Isso nos torna mais próximos do que fazem, ajuda a nos identificarmos mais com os produtos que comercializam e permite que elas criem campanhas de marketing inspiradoras.

E aí, gostou de conhecer essas narrativas de sucesso de grandes marcas? Aprenda mais sobre a arte de contar histórias em nosso minicurso sobre o assunto!


Este é um GuestPost produzido pela Rock Content: http://rockcontent.com.br

Facebook Comments
7 cases e exemplos de sucesso de histórias contadas por grandes marcas

O futuro do trabalho não será sobre diplomas, será sobre habilidades

7 cases e exemplos de sucesso de histórias contadas por grandes marcas

Por que as pessoas prosperam nos espaços de coworking?

Newer post