Reduza o turnover da sua equipe incentivando a criatividade!

turnover

Você já ouviu falar no termo turnover? A expressão pode não estar soando familiar, mas certamente você já presenciou ou viveu esta situação. Trata-se da alta rotatividade de funcionários em uma empresa. Ou seja, um empregado é contratado e outro desligado com uma frequência considerável. Este cenário, sem dúvidas, é prejudicial à empresa, à equipe, e até mesmo ao mercado.

Vamos falar mais sobre isso?

Causas da alta rotatividade na empresa

Vários fatores podem levar ao turnover, e tais fatores podem ser ocasionados pela postura da empresa, pelo mercado e até mesmo pela equipe. Segundo o SEBRAE, vários motivos contribuem para aumentar essa situação dentro das empresas, como:

  • Insatisfação com o trabalho.
  • Problemas na gestão de pessoas.
  • Clima organizacional ruim.
  • Mercado de trabalho aquecido.
  • Inadequação ao perfil da vaga.
  • Pouca experiência.

É importante ressaltar que o turnover não é uma causa em si. Mas sim o efeito de algumas variáveis externas e internas. Portanto, como já foi levantado, possui diversas causas distintas que podem impactá-las de maneiras diferentes.

Diante desta situação, as empresas devem avaliar os casos são controláveis, semi-incontroláveis ou incontroláveis. Já explicamos melhor. Os casos controláveis, bem como o nome sugere, está nas mãos da empresa reverter a situação.

Ex.: melhorias na remuneração; oferecer treinamentos; rever planejamentos e controles inadequados; olhar para dentro da equipe que não recebem oportunidades; analisar e propor soluções para os problemas de relacionamento interno; etc.

Já nos casos semi-incontroláveis, a mudança de cenário está mais nas mãos do colaborador. Ou seja, tem mais a ver com a postura e perfil dos empregados em geral.

Ex.: baixo rendimento do colaborador; temperamento difícil, maus hábitos e insatisfação pessoais e profissionais. Nestes casos, a empresa tem a oportunidade de conversar, entender o cenário, oferecer melhorias. Mas ainda assim, dependerá muito do interesse dos próprios colaboradores em mudar e contribuir para essas melhorias.

Nos casos incontroláveis, está muito ligado às questões externas. Oferta e demanda de profissionais no mercado e oportunidades de emprego em geral; cenário socioeconômico, casos em que há oportunidades de emprego disponíveis, ou seja, mercado aquecido. Aqui, há muito pouco que as empresas possam fazer, é uma questão de se adequar aos novos cenários mercadológicos.

turnover

Impactos dentro da empresa

Como bem sabemos, uma equipe alinhada, em sintonia, trabalhando em conjunto é parte considerável para o sucesso de um negócio. Logo, não há dúvidas que turnover não é bom para nenhuma empresa.

Objetivamente falando, há alguns impactos que este cenário pode gerar. O aumento dos custos de recrutamento e treinamento de novo empregado, são alguns deles. Assim como os decorrentes da rescisão contratual (pagamento de direitos trabalhistas, por exemplo). Isto atinge diretamente o financeiro da empresa, que precisa se reajustar constantemente.

Outro impacto que podemos citar é o da perda de produtividade da equipe. Com a saída constante de profissionais, a equipe fica mais enxuta e a interferência do desligamento acaba por gerar o acúmulo de funções. Entre outros problemas internos.

A longo prazo, o turnover pode gerar outros impactos, como: degradação na imagem da empresa, público interno desmotivado. Queda na qualidade de produtos ou serviços. Serviços realizados por colaboradores despreparados, inexperientes ou em fase de ambientação.

turnover

Como solucionar ou evitar o turnover?

Várias tomadas de decisão pode contribuir para que não se chegue ao caos. Ou em casos onde a empresa já está vivendo os problemas com a alta rotatividade, a mudança de postura vem prevenir novas crises. Em ambas situações o planejamento é indispensável.

Planejar olhando para dentro da equipe, entendendo as necessidades individuais e coletivas, percebendo se as contratações condizem com as expectativas da empresa e o contrário também.

Em alguns passos simples:

1. Ofereça desenvolvimento profissional;

Já falamos dos treinamentos, do incentivo a qualificação profissional, da capacitação dos colaboradores, que levarão os novos conhecimentos para dentro da empresa.

2. Mostre como todos são importante

Mas, mais que mostrar a importância de cada um, é fazê-lo com sinceridade e nos momentos oportunos. Reconhecer a evolução profissional é motivador. Tanto para quem está sendo reconhecido. Quanto para a  empresa que é diretamente beneficiada pela habilidade profissional em questão.

3. Seja flexível

A mobilidade urbana não tem colaborado muito com as empresas. Já pensou em home office? Ou melhor, alocar seus colaboradores em coworkings? Eles podem aprender muito mais com o mercado e ainda estar mais próximo de casa. Saiba mais, aqui!

4. incentive hábitos legais/saudáveis

Não adianta cobrar tanto dos profissionais sem oferecer exemplo, estímulo. Proponha hábitos saudáveis, ajude seus profissionais a executá-los. Seja na alimentação, no desenvolvimento de trabalhos em conjunto, etc.

5. promova um ambiente leve

Já vimos aqui que o turnover pode ser ocasionado justamente por falta de um ambiente de trabalho que estimula. Mais uma vez reforçamos o valor dos coworkings para motivar e alavancar ideias, projetos e profissionais.  

Anotou essas dicas?

Então, não perca mais tempo.

É hora de praticá-las, colocá-las para acontecer!

Até a próxima! 🙂

Facebook Comments
Reduza o turnover da sua equipe incentivando a criatividade!

Equipe em crescimento: como fazer a gestão de pessoas?

Reduza o turnover da sua equipe incentivando a criatividade!

Economia compartilhada: o que é isso?

Newer post

Post a comment

[instagram-feed showheader=true widthunit=273 heightunit=273 imagepadding=0 showfollow=true showbutton=false]